Logo Elias Lacerda
                           Clínica São Rafael

Acusado de matar caminhoneiro pernambucano em Teresina é de Timon; Mais um apenado que matou mesmo estando com tornozeleira eletrônica

Weldilson da Silva Oliveira (esquerda camisa preta) e Edilson de Sousa Filho (à direita – autor dos disparos que usava tornozeleira eletrônica) são acusados do latrocínio praticado contra um caminhoneiro pernambucano em Teresina

Agentes da Delegacia de Homicídios de Teresina em conjunto com a a Delegacia Regional e de Entorpecentes de Timon prenderam na manhã desta  terça-feira (4), os dois acusados de assassinarem o caminhoneiro João Antônio da Silva, 49 anos, fato ocorrido no dia 19 de julho, enquanto este descarregava o caminhão no restaurante Coco Bambu, na Avenida Dom Severino, zona leste da capital piauiense. O crime foi muito repercutido na imprensa piauiense,

Os dois acusados foram identificados como Edilson de Sousa Filho e Weldilson da Silva Oliveira, sendo que o primeiro teria atirado no caminhoneiro. Eles são de Timon e foram presos em uma residência no bairro Cidade Nova, considerado pelas autoridades policiais da cidade como o bairro mais perigoso da cidade.

Edilson, o autor dos disparos,  estava sendo monitorado por tornozeleira eletrônica e isso ajudou na localização. Após ter matado o caminhoneiro, o criminoso ainda foi para Timon participar de uma audiência no fórum local , onde responde por outro crime, o de tráfico de drogas.

Para a Polícia Civil,  Edilson de Sousa teria confessado que efetuou o disparo porque a vítima reagiu. Contudo, o delegado Higgo Martins- responsável pelo inquérito- revela que a vítima não esboçou reação, apenas se assustou com a abordagem da dupla.

“Conseguimos identificá-los através de imagens de câmeras de segurança. A vítima não reagiu, apenas se assustou quando os suspeitos fizeram a abordagem para roubar o celular”, esclarece o delegado. O comparsa foi identificado como Weldison Phablo da Silva Oliveira.

O motorista havia acabado de descarregar o caminhão e foi assassinado enquanto falava ao telefone na esquina. Os suspeitos efetuaram um disparo abaixo do peito do caminhoneiro que teve morte imediata.

Este é o segundo caso em menos de um mês em que um apenado da justiça timonense, usando tornozeleira eletrônica se envolve na morte de pessoas inocentes. No último dia 17 de junho, Dona Raimunda Maria Nascimento Silva, de 64 anos de idade, estava na porta de casa em Timon , na avenida 5, no bairro Mutirão, limpando a sarjeta, quando foi surpreendida por um motoqueiro com tornozeleira eletrônica que transitava em alta velocidade na via. A dona de casa foi atropelada brutalmente. Ela era mãe do advogado Maurício Alves da Silva, um dos auxiliares do prefeito Luciano Leitoa. Divulgado em primeira mão por este eliaslacerda.com, o crime teve enorme repercussão.

Dias depois descobriu-se que o apenado nem carteira de habilitação para pilotar moto tinha, o que somado ao fato do atropelamento fez o juiz suspender a liberdade provisória do acusado mandando que o mesmo fosse recolhido a penitenciária Jorge Vieiria.

(com parte das informações do cidadeverde.com)

1 comentário

rafael
Comentou em 04/07/17

Vou fazer uma pesquisa pra sabe em que lugar do mundo um preso pode ficar solto usando tornozeleira que não serve de nada.BOLSONARO 2018!

Deixe um comentário

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael