Logo Elias Lacerda
Clínica São Rafael

Auxílio Emergencial: Caixa Econômica avisa que saques da segunda parcela serão espaçados

Cronograma definitivo de pagamento da segunda parcela dos R$ 600, contudo, ainda aguarda aval do Ministério da Cidadania

O presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Guimarães, informou nesta quarta-feira (06/05) que os saques da segunda parcela do benefício emergencial serão liberados de forma espaçada para evitar novas aglomerações nas agências bancárias. As datas desse pagamento, contudo, ainda aguardam o aval do Ministério da Cidadania.
A sistemática será, portanto, diferente da adotada na primeira parcela, quando a Caixa estabeleceu um cronograma de pouco mais de uma semana para os saques presenciais dos R$ 600, enquanto continuava recebendo o cadastro de novos beneficiários. “Para não esperar um mês para começar a pagar, nós começamos pagando as pessoas que iam sendo analisadas. No segundo pagamento, poderemos pagar de maneira diferente”, afirmou o presidente da Caixa.
“De maneira que já temos a base de dados, poderemos ser muito mais eficientes. A grande maioria das pessoas terá essa organização com datas espaçadas. Ou seja, não faremos daquela maneira de pagar, por exemplo, janeiro e fevereiro em um dia, numa segunda-feira; março e abril na terça; maio e junho na quarta. Porque o que aconteceu foi que pagar 20 milhões de pessoas que têm um conhecimento muito baixo da questão de tecnologia acabou gerando uma demanda muito grande”, acrescentou Pedro Guimarães, garantindo que, por isso, “o segundo lote de pagamentos será feito de maneira muito mais eficiente”.
O presidente da Caixa lembrou, por sua vez, que a definição exata das datas de pagamento da segunda parcela do benefício de R$ 600 depende da aprovação do Ministério da Cidadania. “Estamos discutindo com o Ministério da Cidadania”, afirmou, sem dar mais detalhes sobre esse cronograma.
Procurado, o Ministério da Cidadania informou na segunda-feira (04/05) que as datas de pagamento da segunda parcela dos R$ 600 seriam anunciados ainda nesta semana. A pasta também indicou que levaria em conta as considerações da Caixa Econômica Federal, que é a responsável pela operacionalização do pagamento e também já havia pedido que os saques do benefício emergencial não coincidam com o pagamento do Bolsa Família para que não haja aglomerações nas agências bancárias. Depois disso, contudo, a pasta, comandada pelo ministro Onyx Lorenzoni, ainda não apresentou novas informações sobre a continuidade da concessão do benefício emergencial.

Primeira parcela

Segundo a Caixa Econômica Federal, mais de 50 milhões de brasileiros já receberam a primeira parcela do benefício emergencial. E o banco garante que a ida às agências, para o saque em espécie dos R$ 600, tem sido menos tumultuada.
Pedro Guimarães informou que mais de 500 mil pessoas foram às agências da Caixa nesta quarta-feira para sacar o benefício emergencial. Mas assegurou que, diferente do que ocorreu na semana passada, as filas foram desfeitas logo após a abertura das agências.
Em live realizada no canal do YouTube da Caixa, ele chegou a mostrar uma apresentação, com 14 slides e 28 fotos, para mostrar que o atendimento estava ocorrendo de maneira organizada e, assim, afastar as críticas sobre as filas nas agências da Caixa.
“Basicamente todas as agências tiveram a eliminação das filas até as 10h da manhã. São 4,2 mil agências. Então, podemos ter agências que tiveram, pontualmente, mais filas. Mas a maior parte das pessoas chega cedo e é atendia até as 10h. […] As aglomerações já foram resolvidas. No máximo, tem antes de agência abrir. Mas já houve uma normalização do atendimento”, disse Guimarães. Ele reforçou ainda que as agências estão funcionando das 8h até o atendimento do último cliente. E disse que, por isso, as pessoas não precisam formar filas antes da abertura das agências. “Não há necessidade de chegar de madrugada”, garantiu.
Segundo Guimarães, a melhora do atendimento começou a ser percebida na segunda-feira (04/05) por conta da ampliação do horário de atendimento e da equipe das agências da Caixa, das parcerias realizadas com as prefeituras para a organização das filas e também pela melhoria do aplicativo Caixa Tem. E essa melhora se acentuou nesta quarta-feira pelo fato de que a maior parte das pessoas que tinham direito ao saque dos R$ 600 já retiraram os recursos.  De acordo com a Caixa, 5,9 milhões de brasileiros já sacaram o benefício.

Espera

Apesar de o benefício emergencial já ter sido pago a mais de 50 milhões de brasileiros, ainda tem muita gente esperando uma resposta do governo para saber se terá direito aos R$ 600 durante a pandemia do novo coronavírus. É que o governo ainda está refazendo a análise cadastral de 12 milhões de CPFs que foram considerados inconclusivos quanto à lei do benefício emergencial e ainda tem mais 6 milhões de cadastros para analisar.
Esse processo está sendo conduzido pela Dataprev, que promete concluir pelo menos a análise desses 12 milhões de CPFs inconclusivos ainda nesta semana. Depois disso, os dados ainda precisam ser homologados pelo Ministério da Cidadania para serem enviados à Caixa, para que o banco comece a fazer o pagamento desses trabalhadores. O banco garante, por sua vez, que, quando receber os dados de quem ainda tem direito aos R$ 600, fará o depósito desse recurso de forma célere.
“Estamos ainda para receber esse lote. Quanto recebermos, faremos o pagamento em até 48 horas. Vamos pagar até dois dias úteis depois do recebimento. Mas precisamos receber o lote”, disse Pedro Guimarães, quando questionado sobre o assunto nesta quarta-feira. O presidente da Caixa ainda garantiu que todos os brasileiros que forem considerados aptos a receber o benefício emergencial receberão as três parcelas dos R$ 600, mesmo caso o seu primeiro pagamento só saia quando o restante dos beneficiários estiverem recebendo já a segunda parcela do benefício.
Do Correio Brasiliense

Deixe um comentário

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael