Destaques

Convenção da Assembleia de Deus repudia apoio da senadora Eliziane Gama a Lula no Maranhão

Segundo a Convenção, a senadora, que é evangélica, filha de pastor e membro da Assembleia de Deus no Maranhão, está em “discordância com o posicionamento” da CGADB e da Ceadema, que já declararam oficialmente apoio a Jair Bolsonaro (PL).

A Convenção Estadual das Igrejas Evangélicas Assembleias de Deus no Maranhão (Ceadema) lançou, nesta quarta-feira (19), uma nota de repúdio contra a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA). A mensagem foi publicada após ela declarar apoio ao candidato Luís Inácio Lula da Silva (PT) no segundo turno das Eleições 2022 e ajudar na elaboração de uma carta pública de Lula ao povo evangélico.

Segundo a Convenção, a senadora, que é evangélica, filha de pastor e membro da Assembleia de Deus no Maranhão, está em “discordância com o posicionamento da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) e da Ceadema”, que declararam apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PL).

A nota de repúdio foi publicada após o ex-presidente Lula buscar apoio da senadora  Eliziane Gama para tentar combater a disseminação de fake news contra o petista entre os evangélicos por meio da criação de um comitê focado no segmento.

Nesta quarta, Lula divulgou uma carta destinada às lideranças de igrejas evangélicas, na qual critica o uso eleitoral da fé, defende a liberdade religiosa e reforça ser contra o aborto. O documento, que não faz referência ao adversário de Lula na disputa presidencial, Jair Bolsonaro, foi elaborado com a articulação da senadora Eliziane Gama, da deputada eleita Marina Silva (Rede-SP) e da deputada reeleita Benedita da Silva (PT-RJ), que também são evangélicas.

A carta foi lida nesta quarta, por Gilberto Carvalho, ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência, durante evento com lideranças de igrejas evangélicas em São Paulo (SP). Eliziane Gama esteve presente no evento e discursou.

“O evangelho da cruz, que é o evangelho que nós pregamos, não é o evangelho de ódio, ele é um evangelho de paz. O evangelho da cruz, que nós pregamos, não é o evangelho da intolerância, ele é o evangelho da tolerância. O evangelho da cruz, que nós pregamos, é, sobretudo o evangelho do perdão, é o evangelho da ressocialização. O evangelho da cruz é esse evangelho, não é o evangelho que divide a sociedade brasileira, não é o evangelho que prega a tortura”, declarou durante evento de leitura da carta compromisso com os evangélicos.

De acordo com nota de repúdio da Ceadema, Eliziane, desde o início de seu mandato de senadora, tem dado ‘sinais claros’ da falta de compromisso com a Convenção, inclusive com os termos assinados por ela, quando lançou a pré-candidatura ao Senado pela Ceadema, que entre outras coisas, deveria se posicionar contra a doutrinação de política de esquerda.

No dia 6 de outubro, a Convenção Estadual das Assembleias de Deus no Maranhão já havia lançado uma nota de apoio à reeleição de Bolsonaro (PL) à presidência da República. No documento, a Ceadema afirmou que o atual presidente defende ideais que “dialogam com princípios e valores defendidos pela igreja de Cristo Jesus”.

Quem é Eliziane Gama

 Eliziane Gama ocupou o cargo de deputada estadual no Maranhão de 2007 a 2014, pelo Partido Popular Socialista (PPS). De 2015 a 2019, ela foi deputada federal, também, pelo PPS, tendo passado, anteriormente (2015 a 2016), pela REDE.

Em 2012 e 2016, Eliziane se candidatou à Prefeitura de São Luís, pelo PPS, mas não se elegeu em nenhum dos pleitos.

Já em 2018, Eliziane, ainda filiada ao PPS, conseguiu se eleger como senadora pelo Maranhão, mudando de partido em 2019, quando foi para o Cidadania.

Durante o segundo turno das Eleições 2018 para a presidência, o partido dela, que ainda era o PPS, não apoiou nem Bolsonaro, que era do PSL na época, nem Fernando Haddad (PT), por considerar que os dois projetos de governo ‘flertavam’ com ditaturas.

No entanto, como a senadora eleita pertencia ao grupo de Flávio Dino (PSB), reeleito governador no Maranhão pelo PCdoB nesse ano, ela teve que declarar apoio ao petista Haddad, sendo censurada pela cúpula da Assembleia de Deus, que preferia Jair Bolsonaro.

Em 2022, o Cidadania apoiou, no 1º turno, a candidata do MDB à presidência, Simone Tebet. No segundo turno, tanto Tebet quanto o Cidadania decidiram apoiar Lula para a presidência, a decisão foi acompanhada por Eliziane Gama, que usou as redes sociais para afirmar o apoio do Cidadania no Maranhão ao petista.

“Como presidente estadual da Federação PSDB Cidadania, encaminhei posicionamento favorável a decisão do grupo político por entender que é o melhor para o Brasil neste momento. Os dirigentes partidários do PSDB e Cidadania destacam que a decisão é fruto do compromisso assumido por Lula como o fortalecimento da democracia, combate à fome, geração de emprego e renda, proteção do meio ambiente, retomada do crescimento econômico e dos programas sociais como o ‘Minha Casa Minha Vida'”, declarou a senadora.

Além da decisão do partido de Eliziane, ela também faz parte, no Maranhão, do grupo comandado por Flávio Dino e Carlos Brandão, ambos do PSB, que declararam apoio a Lula nos dois turnos.

 

Do G1 Ma

14 Comentários

  1. Senadora eliziane….traiu a sua igreja …no.maranhao ….nso apoia um.cristso para presidente BRASIL

  2. Vixe!! Quer dizer q a igreja agora tá interferindo até na opinião pessoal dos membros?!
    Onde tá a liberdade de expressão e consciência da pessoa?
    Será q vão dispensar o dízimo dela também?

    1. muito estranho caro amigo Denis Sérvio, essa sua colocação; ao visto a igreja que você congrega dá preferência ao valor arrecadado com o dízimo do que o que prega a bíblia. MUITO ESTRANHO.

  3. É só não votarmos nela e que vá com o Lula e seus admiradores, apoiando o aborto e tudo que ela conhece muito bem,dor de barriga não dá só uma vez até a próxima eleição

  4. Assembleia de Deus é uma seita. Virou partido político. A campanha tá explicitando quem são os “crentes”

  5. Rapaz o Brasil é um país laico. Esse negócio de igreja tá interferindo nos assuntos administrativo do país não tem nada a haver. A maioria dessas igrejas só visam a questão financeira.

  6. Cada um é livre para escolher em quem votar, se roubar faz bem pra você e seus filhos, vote no ladrão, é direito seu.

    1. PRIMEIRO, A IGREJA NÃO PRECISA DE APOIO DA ELIZIANE, SENDO QUE A MESMA NÃO VAI NA MESMA LINHA DE PENSAMENTO COMO CRISTÃO EVANGÉLICO, POIS A MESMA JÁ SE CORROMPEU, E QUEM CUIDA DA IGREJA É DEUS NÃO É O DÍZIMO DELA, DEUS É O DONO DO OURO E DA PRATA, PORTANTO COM OU SEM ELA A IGREJA DE JESUS FUNCIONA TÁ BOM.

    2. A ELIZIANE GAMA SE REVELOU NA CPI DA COVID-19, ELA ESTÁ MISTURADA COM CORRUPTOS RENAN CALHEIROS, OMAR AZIS, RANDOLF, OTTON ALENCAR E OUTROS, COMO SE NÃO BASTASSE, AGORA COM LULA.

  7. Ela tá certa ela vota em quem ela quiser ela não é obrigado aí por cabeça de gado, agora eu me admiro um pessoa dizer que é de Deus e fica puxando o saco de um partido político ele tinha que converter as pessoas para o o evangélico para seguir Deus a maioria desses pastores querem benefício próprio por isso que estão nessa briga toda

  8. Infelizmente as igrejas evangélicas na sua maioria estão fazendo o papel dos fariseus. Graças a Deus ainda contamos uma minoria que buscam o exemplo de Cristo como o caminho a ser seguido. Ou seja têm muitos Caifás como o Silas Malafaia

  9. Qual mesmo a influência que a senadora tem na igreja e, pq fala- se tanto em igreja nesse momento?
    Há, tá explicado, alguns seguidores de Macedo,valdomiro,mala 3 bote mala nisso faia e tantos outros gostam mesmo e de vender a palavra , lavando o cérebro dos mais fracos para andarem mundo a fora esbanjando luxo.
    Verdadeiros comerciantes da fé,e sacerdotes dos valores, líderes malignos. A senadora ficou ausente na campanha de primeiro turno para mim e muita gente ela tá e apagada, infelizmente ainda tem 4 anos de mandato de senadora, infelizmente !

Faça um Comentário

Elias Lacerda

Elias Lacerda

Elias Lacerda
Jornalista apaixonado pela notícia e a verdade