Logo Elias Lacerda
Clínica São Rafael

Pedagoga diz o motivo de ter matado o marido e colocado o corpo no freezer

Assista ao vídeo acima com o depoimento da acusada:

A pedagoga presa nessa segunda-feira (21) suspeita de matar o próprio marido e armazenar o corpo dele em um freezer, na cidade de Lacerdópolis, Santa Catarina, declarou que sentiu uma “sensação de liberdade” após o crime. Segundo ela, o companheiro a agredia e sentia ciúmes da relação dela com a filha do casal.

“Vou agora cumprir minha pena, vou para cadeia, mas nunca me senti tão livre. […] Sinto que minha filha está mais segura. Não vai ter ninguém impedindo da gente se ver. Sei que vou parar de apanhar. Não sei explicar, mas é uma liberdade”, detalhou Claudia Fernandes, 40 anos, em entrevista ao Canal Beto Ribeiro, no Youtube.

Após confessar o homicídio, ela se entregou e disse que o esposo, o motorista Valdemir Hoeckler, de 52 anos, era abusivo e chegou a ameaçá-la de morte. Na ocasião, ela admitiu que deu remédio para ele dormir e, após o companheiro adormecer, o asfixiou. As informações são do portal Uol.

Claudia Fernandes explicou que teve “um surto” após o marido a impedir de viajar com colegas de trabalho ao ameaçar matá-la. “Dei um surto. E pensei: ‘já que alguém vai morrer, que seja você [Valdemir]”, contou.

HISTÓRICO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

A pedagoga disse que, em 2019, registrou um boletim de ocorrência contra a vítima, mas voltou atrás após ser ameaçada.

Depois de prestar depoimento na delegacia no período em que Valdemir era considerado desaparecido, ela foi submetida a um exame de corpo de delito, pois apresentava hematomas nos braços que, conforme o portal, eram compatíveis com uma agressão.

À publicação, a defesa da suspeita reforçou que o assassinato foi motivado pela violência doméstica sofrida pela mulher.

“Ela era uma mulher maltratada física e psicologicamente. Por vezes, até violentada de forma sexual. E que para preservar a própria vida, matou. Hoje ela está se entregando à Polícia e possivelmente vai ser presa. Mas ela deixa bem claro: nunca se sentiu tão livre”, disse o advogado Marco Alencar.

“Vamos colocar todas as circunstâncias para que a juíza da comarca fique sabendo de todo esse cenário de horrores [que ela vivia] e vamos pedir para que a juíza imponha condições para que ela responda esse ato em liberdade”, declarou outro profissional responsável pela defesa da suspeita, Claudio Dalledone, ao portal.

DESAPARECIMENTO E CORPO EM FREEZER

Inicialmente, Valdemir Hoeckler foi dado como sumido na última terça-feira (15). As buscas por ele começaram na região da Linha São Roque, em Lacerdópolis, onde ele morava com a esposa. Familiares e amigos publicaram imagens solicitando ajuda nas redes sociais.

Claudia prestou depoimento na sexta-feira (18) e aceitou que a Polícia conduzisse perícia na casa onde eles moravam na noite de sábado (19). Mas ela fugiu da cidade antes do horário marcado. O corpo de Valdemir foi encontrado no sábado, dentro de um refrigerador da residência.

 

1 comentário

Diane
Comentou em 23/11/22

Quando vê uma mulher fazer isso pode ir atrás que ela já foi muito agredida.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

*
*

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael