Produtos da Agricultura familiar em Timon geram renda e aumentam qualidade da merenda escolar

 Em 2020, a merenda escolar dos estudantes ficará ainda mais saudável. É que aumentou o número de agricultores familiares que participaram e foram aprovados na chamada pública para aquisição de gêneros alimentícios diretamente da agricultura familiar pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), por meio de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).  No ano passado, a Prefeitura de Timon contava com 39 agricultores familiares fornecendo alimentos para a merenda escolar. Neste ano, o número passou para 76, que vão fornecer cerca de 20 itens diversos, o que vai superar os 30% exigidos pela Lei nº 11.947 de 2009.  Deste modo, o cardápio da merenda escolar de 2020 será alterado para que as crianças e jovens consumam ainda mais frutas, verduras e legumes na escola. “Nossa intenção é que os alunos da rede municipal entendam cada vez mais a importância do ‘descasque mais e desembale menos’. Com isso, eles terão uma alimentação mais saudável e estes hábitos serão levados para casa e para o restante da vida deles. Além disso, estamos incentivando a produção da agricultura familiar no nosso município”, explica Lara Formiga, uma das nutricionistas da Secretaria Municipal de Educação (Semed).  Outro benefício de uma alimentação adequada destacado por Lara é que uma merenda rica em nutrientes contribui para o crescimento, aprendizagem e rendimento escolar dos estudantes.  A mudança no hábito alimentar foi percebida pela agricultura familiar Maria Luzenir, que tem três filhos estudando nas escolas da rede municipal. “Antes eles não queriam comer salada e frutas em casa e hoje já pedem, porque se acostumaram a comer na escola”. Outra vantagem para a agricultora, que planta feijão e melancia junto com a sua mãe, Maria Luzinete, foi o aumento na sua produção para poder atender a demanda da merenda escolar. 

Deixe um comentário

Você pode ler também!

Barro Forte