Logo Elias Lacerda
                           Clínica São Rafael

Quem são os quatro generais que terão mais peso no governo Bolsonaro

O capitão prometeu durante a campanha que terá generais no primeiro escalão de seu governo. Todos da reserva, como ele

Quem são os quatro generais que terão mais peso no governo Bolsonaro

A vitória de Jair Bolsonaro (PSL) neste domingo devolveu o poder aos militares. Desta vez, pelo voto direto. O capitão prometeu durante a campanha que terá generais no primeiro escalão de seu governo. Todos da reserva, como ele.

O destaque nesse gabinete verde-oliva é seu vice, o general Hamilton Mourão, que não era o favorito do presidente eleito para compor a chapa. Mourão ganhou notoriedade após declarações polêmicas ainda na ativa. Criticou a então presidente Dilma Rousseff e disse que o presidente Michel Temer transformou o Palácio do Planalto num “balcão de negócios” para se salvar das duas acusações do Ministério Público feitas no ano passado.

Mourão fez declarações que desagradaram o presidente durante a campanha,  como defender o “autogolpe”, mostrou-se favorável ao fim do 13º salário e de uma Constituição elaborada sem a participação do Congresso Nacional.

Outro general, com mais poder que Mourão junto ao presidente, Augusto Heleno já foi anunciado como ministro da Defesa. Talvez tenha um papel superior a esse. Ele foi o coordenador-general do grupo que traçou diretrizes do novo governo, que se reuniu no subsolo de um hotel em Brasília. O general Heleno era o militar preferido de Bolsonaro para ser vice na chapa. O real “número 2” desejado pelo presidente era o senador Magno Malta (PR-ES), que preferiu tentar a reeleição no seu estado. E perdeu. Heleno já comandou as tropas da missão no Haiti e tendo acesso aos oficiais da ativa.

O general Oswaldo Ferreira também está nessa linha de frente. É responsável pela área de infraestrutura na equipe e deve assumir o Ministério dos Transportes, ou o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes, o cobiçado Dnit. Na ativa, ele coordenou o Departamento de Engenharia e Construção do Exército.

Outro general da reserva, Alessio Ribeiro Souto cuida da área de educação e ciência e tecnologia. Faz parte desse grupo técnico e já deu declarações defendendo o ensino de Moral e Cívica nas escolas e da revisão nos livros escolares das referência ao golpe de 1964, tratado por esses militares como uma revolução que evitou a adoção do comunismo no Brasil. Alessio já coordenou o Centro Tecnológico do Exército, entre 2006 a 2009.

Bolsonaro ainda não definiu como irá aproveitar todos esses antigos oficiais em seu governo, mas terão um lugar de destaque nas suas áreas específicas.

Deixe um comentário

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael