Campanha política para prefeito em Timon pode não ter caminhadas, carreatas e comícios

É fato: Mais cedo ou mais tarde a doença do momento que abala o mundo inteiro, o coronavírus, chegará em Timon. E pelas previsões de qualquer médico,  não vai demorar.

O eliaslacerda.com é o primeiro noticioso a despertar para a doença e seus reflexos nas eleições de 2020, pois é sabido que a chegada do coronavírus deverá ter impacto enorme na vida cotidiana do timonense e a campanha eleitoral deste ano poderá ter mudanças radicais no comportamento dos candidatos e dos eleitores no país inteiro.

A continuar a epidemia avançando pelo país , como é a previsão dos infectologistas, poderemos chegar na campanha em agosto com os candidatos tendo que mudar de hábitos junto com os eleitores como forma de impedir o avanço do Covid 19.

As atividades que deverão ser mais prejudicadas serão as caminhadas, carreatas, comícios, pois todos sabem que o Ministério da Saúde tem recomendado que se evitem concentrações de pessoas, pois estas situações são favoráveis ao avanço da doença. Campeonatos de futebol do mundo inteiro estão sendo suspensos, shows, espetáculos e outros também estão sendo cancelados, afinal foram com medidas assim que os chineses conseguiram barrar o crescimento da doença.

Sabe-se que no Brasil algumas atividades já foram suspensas seja na esfera pública ou privada para evitar aglomeração de pessoas, entretanto é opinião comum entre os infectologistas que medidas mais duras deverão ser adotadas tão logo o coronavírus amplie sua contaminação no país.

Sendo assim, em Timon e no país inteiro poderemos ter uma campanha fria, sem comícios, carreatas e caminhadas. Até mesmo o aperto de mão de candidatos com eleitores pode ficar ameaçado.

As campanhas, que nas anteriores já vinham sendo em grande parte virtual, neste ano impulsionada pelo coronavírus,  pode ficar ainda mais onde os candidatos terão que explorar ao máximo as redes sociais, blogs, sites e a televisão como forma de chegar ao eleitor sem contribuir com a propagação da doença.

Diante dessa perspectiva cada vez mais real, só temos a lamentar que eleitores e candidatos venham a perder o calor humano de uma campanha tão importante como é a de prefeito e vereadores.

Fica nossa torcida para que o Brasil possa conter o avanço dessa patologia e assim evitar tão prejudiciais consequências na campanha eleitoral deste ano…

 

1 comentário

Denis Servio
Comentou em 16/03/20

Até agosto isso terá passado.

Deixe um comentário

Você pode ler também!

Barro Forte