Logo Elias Lacerda
Clínica São Rafael

Condenado a 21 anos de prisão empresário que atropelou enfermeira em Teresina

Acima à esquerda Anuxa, ex-namorada, Pablo ao centro e a amiga do casal a enfermeira Vanessa, que foi atropelada pelo condenado.

O réu Pablo Henrique Campos Santos foi condenado a 21 anos e 8 meses de prisão por atropelar e matar Vanessa Carvalho e ferir gravemente a ex-namorada Anuxa Kelly Leite de Alencar. Seu julgamento foi realizado durante esta terça-feira (30) na 1ª Vara do Tribunal Popular do Júri de Teresina. A sentença foi proferida já na madrugada desta quarta (31), pelo juiz Antonio Reis de Jesus Noleto. Pablo ainda foi condenado ao pagamento das custas processuais. Ele pode recorrer da sentença.

“Os crimes de modo geral afetam a sociedade, causando preocupação e insegurança. No caso em questão, o réu tirou a vida da vítima Vanessa Carvalho, uma jovem de futuro promissor. O réu tentou ceifar a vida da vítima  Anuxa Kelly, também uma jovem, que por pouco não foi a óbito, mas que ficou por muito tempo se recuperando das lesões sofridas. Fixo a pena base com relação à Vanessa Carvalho em 11 anos de reclusão e em relação à vítima Anuxa Kelly em 12 anos de reclusão. Considerando a qualificadora fútil, nesta segunda fase, não há nenhum atenuante em relação às duas vítimas, mas há agravante em relação à vítima Anuxa Kelly, recurso que impossibilitou a defesa da vítima em condição de sexo feminino, assim, tem a pena dessa segunda fase em relação à vítima Vanessa Carvalho em 11 anos de reclusão e em relação à vítima Anuxa Kelly em 16 anos de reclusão. Na terceira fase foram examinadas as causas de aumento ou diminuição da pena. O conselho de sentença reconheceu que o réu agiu em relação à vítima Anuxa Kelly imbuído de pertubação de sua insanidade mental consistente na ingestão de bebida alcoólica, assim é reduzida a pena em 10 anos e 8 meses de reclusão. O réu fica definitivamente condenado a 11 anos de reclusão em relação à vítima Vanessa Carvalho e 10 anos e 8 meses em relação à vítima Anuxa Kelly, cujo somatório são 21 anos e 8 meses de reclusão, devendo cumpri-la em regime fechado em unidade prisional correspondente”, disse o juiz.

O empresário deu detalhes do crime em seu depoimento. Ele confessou a autoria, mas alegou esquecimento em diversos pontos devido ao estado de embriaguez em que estava antes do atropelamento, no dia 29 de setembro de 2019. Pablo disse que estava fora de si, havia passado dos limites e que está ‘amargamente’ arrependido pelos acontecimentos.

O atropelamento das vítimas aconteceu na saída de um buffet na avenida Homero Castelo Branco, na zona Leste de Teresina, onde estavam em uma festa de casamento. Vanessa não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Já Anuxa foi encaminhada ao hospital em estado grave, e conseguiu sobreviver.

“Hoje eu posso admitir depois desse período recluso que eu era viciado no álcool, ela também bebia bastante. Durante nosso relacionamento que não houve agressões físicas. A gente se agredia verbalmente. Para evitar, eu me evadia do local. Sempre saia para evitar discussão na roda de amigos. A maioria das vezes, os nossos desentendimentos, gerava só quando a gente consumia a bebida alcoólica. Enquanto a gente não consumia bebida alcoílica em excesso, a gente era um belo casal, mas quando passa dos limites sempre havia discussões ou algo do tipo. A bebida ela já não me fazia bem […] perdi o sentido, só fui voltar em mim quando eu estava na central de flagrantes, sem saber estava preso e sem saber o que tinha acontecido”, relatou em seu depoimento. 

Pablo disse que sempre acontecia de beber e dirigir e negou agressões dentro do seu relacionamento, apesar de discussões quando ambos bebiam. O réu também destacou que não sentiu ciúmes por Anuxa dançar com outras pessoas, pois já era costumeiro.

A bebida ela já não me fazia bem. Não (sentia ciúmes), porque ela dançava com outras pessoas, com amigos dela e eu nunca demostrei esse ciúme por ela dançar. Acredito que uma dança não vá denegrir ou desrespeitar. Eu não me recordo dessas palavras que falei. […] Estava fora de mim, fora do meu limite. Não consigo me lembrar o que aconteceu depois que saímos do mezanino e fomos para aquela mesa. Não lembro quem me entregou a chave. Sei que era eu, sei que foi eu que colidi, sei que foi eu que conduzi esse veículo até a casa dos meus pais. As visitas que o doutor Eduardo me fazia tem um vídeo eu dirigindo o veículo que colidiu com as meninas”, declarou.

Relembre o caso

Acima Pablo que foi preso horas depois do atropelamento

O crime ocorreu no dia 29 de setembro de 2019, onde o casal e a amiga estavam em um casamento em um buffet na Avenida Homero Castelo Branco, na zona Leste de Teresina, quando após uma discussão, as duas jovens foram atropeladas por Pablo Henrique.

A enfermeira Vanessa Maria veio a óbito dentro da ambulância por traumatismo craniano.  Anuxa Kelly ficou gravemente ferida. Pablo Henrique foi preso horas depois do crime.

 

Do meionorte.com

1 comentário

Chico
Comentou em 01/09/22

Foi pouco a pena pra esse indivíduo, teria de ser 90 anos para que ele cumprisse a pena máxima nesse país,30 enjaulado…

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

*
*

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael