Folguedos de Timon 2018
Política

Partido Verde de Edivar Ribeiro continua sem coligação proporcional



Hotel Parna

edivar e eduardo costa

Acima, Edivar (camisa branca) e o presidente do PV de Timon, Eduardo Costa: Coligação proporcional sem definição para o PV.

Continua sem destino para coligação proporcional o Partido Verde de Timon. A sigla que possui como principal pré-candidato a vereador o ex-vice-prefeito Edivar Ribeiro, tem encontrado enormes resistências para ser aceita nas coligações proporcionais que tem como pré-candidato a prefeito o deputado estadual Alexandre Almeida.

A situação é tão emblemática que para se ter uma ideia, o Partido Verde de Timon é a única sigla que até este momento continua sem saber onde vai se coligar na proporcional. Todos os outros partidos já sabem que destino terão.

A resistência principal reside no fato do temor que os partidos tem da votação de Edivar Ribeiro. Os pré-candidatos a vereador reclamam que o PV tem poucos candidatos (apenas Edivar e mais dois) e ainda tem grandes chances de lhes tomar uma vaga com uma provável eleição de Edivar pela suposta votação que deve ter no pleito.

Até o começo da semana passada estava quase tudo certo que o PV se coligaria com o PSL e PRTB. A situação estaria resolvida se não fosse o vereador Francisco Borges, do PSL. O parlamentar bateu o pé e disse que não aceitaria a coligação.

No final de semana o assunto voltou a ser discutido. Agora com a possibilidade do PMDB acomodar o PV de Edivar. Mas lá também há resistências. Pré-candidatos da sigla dizem que não vão aceitar. Alguns até usaram como argumento o fato de Edivar não ter apoiado a ex-prefeita Socorro Waquim nem seu marido, Sétimo Waquim, na última eleição.

O vereador Francisco Torres, do PMDB,  conversou com o eliaslacerda.com sobre o assunto. Ele defende que a situação seja resolvida pelo pré-candidato a prefeito Alexandre Almeida. “Entendo que é o pré-candidato majoritário que deve resolver essa situação indicando onde deve ficar o PV”, disse.

Mas não é tão simples assim como imagina o vereador. No meio dos assessores mais próximos de Alexandre a opinião convergente é de que como Edivar Ribeiro chegou a coligação do deputado por meio da ex-prefeita Socorro Waquim, nada mais justo que ela encontre uma solução para o problema. A solução, no caso, seria acomodar Edivar com o PV numa coligação proporcional com o PMDB.

Neste momento, na casa da ex-prefeita Socorro Waquim acontece uma reunião com os pré-candidatos do partido. Uma das pautas principais é exatamente o assunto Edivar Ribeiro e o PV. E tome conversa em busca de solução do problema…

anuncio focus

Você pode ler também!

Deixe um comentário



Barro Forte