Logo Elias Lacerda
                           Clínica São Rafael

O destino incerto do vice-governador Carlos Brandão

Para muitos a luta dele é em vão, mas para o vice-governador do Maranhão e presidente estadual do PSDB, Carlos Brandão, a batalha  pelo comando do partido no estado vai permanecer até quando se esgotar todas as esperanças. Pelo menos é essa a recomendação dele para os dirigentes e lideranças políticas do partido, mesmo com a quase certa intervenção que a direção nacional fará no partido para entregar a presidência ao senador Roberto Rocha que quer a sigla para ser candidato a governador nas eleições do próximo ano.

A decisão de Carlos Brandão em continuar lutando pelo partido é tão clara que ele manteve a Convenção Estadual do Partido para o próximo sábado, dia 11, mesmo com as turbulências que passa o ninho tucano com uma intervenção iminente.

Ao contrário de Roberto Rocha, que é visto no meio político e da sociedade maranhense como traidor por sua postura de ter sido eleito com o apoio de Flávio Dino  e seus aliados e hoje se vira contra a gestão dinista,  Carlos Brandão é um vice de comportamento fiel. Sua conduta até agora não permite nenhuma crítica, sendo uma liderança respeitada que ajudou muito na construção da força que o PSDB tem hoje.

Trabalhador e articulado, Brandão quando assumiu a presidência do PSDB o partido tinha no estado apenas apenas 8 prefeitos e 4 vice-prefeitos. Hoje a sigla dispõe de 30 prefeitos, 30 vices, dois deputados estaduais e mais de 200 vereadores.

É esse patrimônio que ele não quer perder e que pode lhe garantir a permanência como o nome mais forte para continuar sendo o vice de Flávio Dino nas eleições de 2018.

Caso se consolide a perda do PSDB para Roberto Rocha e a situação fique irreversível, as lideranças já decidiram que vão pedir desfiliação em massa da sigla no estado em solidariedade ao vice governador e também pelas afinidades com o governo dinista. Roberto Rocha ficará com uma sigla esvaziada na nível de estado.

As alternativas de filiações em outras siglas

Com perfil respeitado no meio político do estado, o que não faltam são convites para Brandão se filiar em novo partido. Mas essa alternativa terá que ser muito bem analisada. Para o PSB, como se ventilou na imprensa o obstáculo é que, segundo contam em bastidores, o partido não lhe quer ceder a vaga para concorrer a vice de Flávio Dino, pois tem gente mais antiga na sigla que também pleiteia.

Outro obstáculo é a permanência do deputado federal José Reinaldo no partido, que mesmo dizendo que vai deixar a sigla, nunca efetivou na prática essa mudança e caso fique com os socialistas, os partidos da base do governador não aceitarão que o PSB além do senador, possa ainda indicar a vice.

A mesma situação se aplica ao PDT. Com a pré-candidatura de Weverton Rocha para o senado, os democratas trabalhistas não teriam também como emplacar o vice.

Mas Carlos Brandão tem várias outras alternativas para estudar. Por enquanto ele continua mesmo é na sua luta pela permanência na presidência do PSDB, o que na visão de muitos, é causa perdida. Sua sorte é que até o próximo ano tem um longo prazo pela frente para decidir seu futuro e que rumo tomar.

Aguardemos…

1 comentário

Roberto Rocha
Comentou em 10/11/17

Carlos Brandão tem que ser vice de Roseana pra mim poder ficar nos bastidores assistindo minha Vitoria sobre eles roberto rocha 2018

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

*
*

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael