Logo Elias Lacerda
                           Clínica São Rafael

Acusada de envolvimento na morte de adolescentes em Timon nega tudo na polícia

A Polícia Civil do Maranhão, através da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) de Timon, recebeu nesta quarta-feira (12) a jovem de iniciais E. L. S. S., de 19 anos, acusada de participação no assassinato das adolescentes Maria Eduarda de Sousa Lira, 17 anos, e Joyce Ellen dos Santos Moreira, 15 anos, que foram executadas pelo núcleo feminino de uma facção criminosa no último dia 21 de março de 2021, na cidade de Timon-MA.

Ela foi presa no dia 23 de abril, na cidade de Carlos Barbosa-RS, durante uma operação em conjunto das polícias civis do Maranhão, Pará e Rio Grande do Sul. Em entrevista nesta quinta (13), o delegado Antônio Valente afirmou que as investigações sobre a morte das duas adolescentes devem avançar a partir das declarações da acusada.

Delegado Antônio Valente

Delegado Antônio Valente

“A gente precisa confrontar o que nós temos com o que ela está dizendo e esperamos avançar com a investigação. Ela, naturalmente, nega e diz que não sabe, disse que sequer se encontrava no local e que apenas a casa dela era próxima, mas temos outros elementos que a contradizem, então temos que trabalhar em cima desses pontos. Os elementos que temos são fortes indícios e devemos fazer a comprovação desses indícios. Com certeza formaremos um conjunto probatório desses indícios”, declarou.

Roupas das vítimas foram encontradas na casa da acusada

No decorrer das investigações, os policiais encontraram roupas das vítimas na residência de E.L.S.S, antes de fugir da cidade. O delegado confirmou a informação e disse que isso foi um dos fatos que embasaram o pedido de prisão da jovem. “É um dos alicerces que embasou o pedido da prisão dela, o que essas roupas estavam fazendo lá!? As roupas eram das vítimas. Então a gente está trabalhando com isso também, ela até disse que conhecia uma das vítimas, mas ainda não explicou isso”, contou.

Foto: Reprodução/WhatsAppAdolescentes assassinadas no bairro Parque Aliança, em Timon

Adolescentes assassinadas no bairro Parque Aliança, em Timon

Participação em facções criminosas

Questionado sobre a participação da acusada em uma facção criminosa, o delegado ressaltou que ela também negou. “Eles nunca afirmam, acho que até nas normas deles constam para não se admitir que faz parte de alguma facção, ela disse que não conhecia ninguém do meio”, pontuou.

Outros envolvidos no crime

“Claro que tem a participação de outras pessoas, a gente até observa isso nos vídeos que circularam nas redes sociais. Nós temos outras pessoas que, inclusive, foram identificadas através de uma imagem, de uma roupa ou de uma voz. A gente vai formar esse conjunto probatório para que possamos representar no judiciário”, relatou.

Relação com desaparecimento de jovem em Teresina

A Polícia Civil do Maranhão acredita que a execução das duas adolescentes tenha relação com o desaparecimento da jovem Gisele Vitória da Silva Sampaio, 17 anos, mais conhecida como “Sereia 14”, que foi executada pelo Tribunal do Crime na zona norte de Teresina e ainda não teve o corpo encontrada.

Foto: Reprodução/WhatsappGisele Vitória dentro de cova antes de ser morta

Gisele Vitória dentro de cova antes de ser morta

“Estamos sim trabalhando com uma constância muito grande acerca disso, inclusive, vemos no vídeo que uma pessoa questiona as vítimas acerca do paradeiro daquela jovem que está desaparecida em Teresina, que ainda hoje se encontra desaparecida. Nós estamos trabalhando e eu tenho conversado com o DHPP de Teresina e com a DPCA. A gente tem trocado essas informações e podemos até adiantar que deve ter sim alguma conexão”, finalizou.

Prisão no Rio Grande do Sul

A Polícia Civil do Maranhão, em conjunto com a Polícia Civil do Pará e Polícia Civil do Rio Grande do Sul, prendeu na manhã do dia 23 de abril, na cidade de Carlos Barbosa-RS, a acusada de iniciais E.L.S.S. De acordo com o delegado Antônio Valente, logo após o crime, no dia 21 de março de 2021, na cidade de Timon-MA, os policiais iniciaram as primeiras diligências para elucidar o caso.

Foto: Divulgação/PC-RSAcusada sendo conduzida pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul

Acusada sendo conduzida pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul

Quando a suspeita percebeu que a Polícia Civil estava no seu encalço, ela empreendeu fuga para Belém-PA e, em seguida, se dirigiu para o estado do Rio Grande do Sul, onde foi dado cumprimento ao mandado de prisão temporária.

 

Do GP1

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

*
*

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael