Logo Elias Lacerda
                           Clínica São Rafael

Câmeras filmaram e polícia procura PM que atirou e matou médico durante festa em Imperatriz

Um vídeo captado por câmeras de segurança registraram o momento em que o médico Bruno Calaça Barbosa, de 24 anos, foi baleado na madrugada desta segunda-feira (24) (veja o vídeo acima). O crime aconteceu durante uma festa em Imperatriz, cidade localizada a 626 km de São Luís.

O principal suspeito do crime é o soldado da Polícia Militar do Maranhão (PM-MA), Adonias Sadda. Segundo a Polícia Civil, logo após o crime, ele fugiu do local e até o momento, não foi localizado.

Momento em que o médico Bruno Calaça, de 24 anos, é baleado em festa no Maranhão. — Foto: Divulgação

Nas imagens, o médico Bruno Calaça Barbosa aparece sentado em um palco conversando com algumas pessoas, quando é surpreendido pelo soldado Adonias Sadda. Em seguida, eles discutem, trocam empurrões e um disparo é efetuado. Veja o vídeo clicando aqui

As pessoas que estavam no local da festa, se assustam e afastam-se. De pé, Bruno Calaça ainda chega a trocar algumas palavras com o suspeito e, logo em seguida, cai no chão.
Adonias Sadda, soldado da Polícia Militar, é o principal suspeito de ter efetuado o disparo contra o médico. — Foto: Divulgação/Arquivo pessoal

Adonias Sadda, soldado da Polícia Militar, é o principal suspeito de ter efetuado o disparo contra o médico. — Foto: Divulgação/Arquivo pessoal

Ao G1, a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP) e o Comando Geral da Polícia Militar afirmaram que estão realizando todos os esforços para tentar localizar o soldado Adonias Sadda.

Ainda não sabe a motivação do crime. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil e as medidas de cunho administrativo e criminal, em relação ao soldado, serão tomadas pela Corregedoria Geral da Polícia Militar.

Bruno Calaça, de 24 anos, foi baleado durante uma festa em Imperatriz na madrugada desta segunda-feira (26) — Foto: Arquivo pessoal

Bruno Calaça, de 24 anos, foi baleado durante uma festa em Imperatriz na madrugada desta segunda-feira (26) — Foto: Arquivo pessoal

Do G1 e do Imperatriz Online

2 cometários

Gilberto
Comentou em 27/07/21

Tem muito policial que se acha acima da lei, só porque tem porte de arma pensa que pode agredir as pessoas em vez de dá segurança a população.

CÉSAR WILLIAM
Comentou em 27/07/21

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

Independentemente de farda ou de posição social, o grande problema reside na falta de inteligência emocional em muitos seres. Algumas pessoas se portam como se fossem “super-heróis” quando se encontram armados. Mas, quanto a isso, é bom meditamos em torno da letra do samba de Bezerra da Silva: ” Você com revólver na mão é um bicho feroz/
Sem ele, anda rebolando e até muda de voz”.
Antes, porém, do revólver, há uma arma que desarma psicologicamente seu possuidor e dá disparos mil, o ódio. Esse sentimento mesquinho entranha-se na alma das pessoas que se afastam de Deus e faz com que estas saiam disparando mortes por qualquer motivo. E não são somente policiais, não.
Longe, muito longe a ideia de querer desconsiderar o que o Sr. Gilberto postou, porque ele também nos expõe outra verdade. Entretanto, é necessário que antes de qualquer pessoa pensar em ter uma arma ou trabalhar em área que exija armamento que faça uma análise: estou preparado para postar arma? Tenho condições psicológicas para andar armado? Não adianta depois do delito dizer que não era a intenção matar. Não era? jogar objetos na cabeça de alguém, disparar tiro seja em qual for a parte do corpo de uma pessoa, a intenção não é ceifar-lhe a vida?
Se você é do tipo que por qualquer banalidade já pensa em agredir inconsequentemente, fisicamente o próximo, procure tratamento, busque Deus, urgente, enquanto se pode.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

*
*

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael