Destaques

Os hábitos alimentares do brasileiro que morreu nesta sexta (28) aos 127 anos

Segundo os registros, José Paulino Gomes nasceu no dia 4 de agosto de 1895. Familiares explicam que documentos do idoso foram feitos quando ele já era adulto, mas garantem que ele tinha mais de 100 anos.

Um homem morreu aos 127 anos, nesta sexta-feira (28), em Pedra Bonita, na Zona da Mata, em Minas Gerais. De acordo com o Cartório Silva, o único da cidade, José Paulino Gomes teria nascido em 4 de agosto de 1895, conforme a certidão de casamento, registrada em 1917 (veja foto abaixo).

José Paulino Gomes, nascido em quatro de agosto de mil oitocentos e noventa e cinco”, diz trecho da certidão de casamento, registrada pela Serventia de Registro Civil de Pedra Bonita, em 1917, no livro B-02, fls 160. — Foto: Reprodução

“De acordo com o registro, ele se casou com 22 anos. Presume-se que realmente ele nasceu antes de 1900. Raramente se casava homens com 17 anos”, afirmou Willyan José Rodrigues de Souza, assessor jurídico do cartório.

A uma semana de completar os possíveis 128 anos, seu José poderia ser considerado o humano mais velho do mundo. A atual recordista pelo Guinness World Records é a espanhola Maria Branyas Morera, de 115 anos.

Segundo a família do idoso, os documentos dele apresentavam informações diferentes, não seguiam um padrão. Por isso, para tentar descobrir a verdadeira idade, a solução foi recorrer ao cartório do município.

“No interior aqui, geralmente, as pessoas são registradas quando já estavam mais velhas. Tem vários casos com a documentação errada. Mas a documentação dele foi abaixo do que ele tinha. Tem uma senhora aqui perto com 98 anos. Ela fala que conhecia ele quando ele já era um rapazinho. Foi quando a gente teve a curiosidade de confirmar a idade e procurou o cartório para saber qual era a certa. Com certeza mais de 100 anos ele tinha, pelo menos 110. Agora a gente precisa saber como vai ficar na certidão de óbito”, disse a neta Eliane Ferreira.

Acima foto de José Paulino tirada em 2021.

Seu José, que era amansador de animais, morava no Córrego do Café, na zona rural de Pedra Bonita. Ele era viúvo e deixou sete filhos, 25 netos, 42 bisnetos e 11 trinetos.

“Ele era muito simples, muito humilde. O diferencial dele é que não gostava de nada industrializado, só coisa de interior, natural. Criava galinha, criava porco… A comida dele era toda daqui mesmo, tinha que ser plantada ou criada aqui. E sempre gostou de tomar uma pinguinha”, contou Eliane.

“Há quatro anos ele já não andava a cavalo. Há aproximadamente um mês estava de cama. Vai deixar muitas histórias e lembranças para todos nós”, disse Fabíola Oliveira, outra neta.

Ainda de acordo com os familiares, a causa da morte foi falência múltipla de órgãos, provavelmente pela idade avançada. O enterro será neste sábado (29), às 16h, no Cemitério do Córrego dos Fialhos, em Pedra Bonita.

Abaixo a certidão de casamento de José Paulino registrada em 1917.

Faça um Comentário

Elias Lacerda

Elias Lacerda

Elias Lacerda
Jornalista apaixonado pela notícia e a verdade