Logo Elias Lacerda
                           Clínica São Rafael

Digital Influencer de São Luís presa em Teresina pode ter recebido ajuda de policiais

Roani teria liderado a quadrilha que iria sequestrar o empresário Abel Landim, segundo investigações do delegado Ademar Canabrava; mais dois comparsas estão sendo procurados

Plano de sequestro, policiais podem estar envolvidos, caso não tem nada a ver com prostituição e tudo era liderado por Roani Sampaio, jovem de 19 anos conhecida em São Luís (MA) como digital influencer e que ostentava em fotos no Instagram.

A reportagem teve acesso a trechos da investigação do caso que movimentou especialmente as redes sociais no Piauí e no Maranhão desde o último final de semana. Além disso, o empresário Abel Landim, que foi vítima de um golpe, aceitou falar, pela primeira vez, e desabafou em entrevista.

Roani Sampaio divulgava fotos ostentando em viagens e tem mais de 28 mil seguidores (Fotos: Reprodução Instagram)

COMO TUDO COMEÇOU

Roani Sampaio e Abel Landim se conheceram há pouco tempo. Segundo o empresário, esta não era a primeira vez que eles se encontraram. Os dois já vinham conversando, até que ela aceitou sair com ele e até almoçaram juntos. Confiando na bela jovem, com quem acreditava estar engatando um romance, ele permitiu que ela fosse até sua casa, localizado no bairro Ininga, zona Leste de Teresina.

De acordo com informação confirmada pelo delegado Ademar Canabrava, do 12º DP, que está a frente do caso, o próprio Abel Landim aceitou pagar a passagem de Roani, que mora em São Luís, capital do Maranhão, para ficar com ele em sua casa em Teresina. A garota, entretanto, veio de carona com o namorado, Francisco Moisés Sousa Batista Júnior, sem que o empresário soubesse.

Abel Landim aproveita para desabafar e esclarecer que o caso que envolve ele e Roani Sampaio nada tem a ver com prostituição. Mesmo constando no próprio boletim de ocorrência, no depoimento da própria jovem, relatando sobre ser ou não “garota de programa”, não falando do assunto em um primeiro momento. “Eu a conheci, conversamos, já almoçamos juntos. Agora quero esclarecer que, para mim, não foi pago como uma garota de programa. Até porque se fosse, iria para outro local, não para minha casa. Não tenho nada contra, mas não foi”, afirmou.

Momento em que Roani Sampaio chega até a casa de Abel Landim, momentos antes de todo o crime (Foto: Reprodução circuito interno)

ROANI NÃO FOI CÚMPLICE, MAS SIM “LÍDER”

O delegado Ademar Canabrava confirmou ainda ao portoal OitoMeia que Roani não foi apenas cúmplice, mas a “líder da quadrilha”. Isto é, ela teria chegado até Abel Landim já sabendo quem ele era, do seu patrimônio e por isso combinou com o namorado, Francisco Moisés, e mais dois comparsas. O plano era o de sequestrar o empresário e talvez por isso o casal de assaltantes ainda estava dentro da casa quando a Polícia Militar chegou e os prendeu em flagrante. “A intenção da quadrilha liderada pela digital influencer Roani da Silva Sampaio, e seu namorado Francisco Moises Sousa Batista Júnior era sequestrar o empresário Abel Paes Ladim. Eles pegaram o celular da vítima e quando perceberam que ele tinha uma quantia bem vultuosa em conta, ordenaram que ele entrasse no carro dos criminosos”, explicou o delegado.

Abel Landim contou ao OitoMeia que desde o momento que Roani Sampaio chegou à sua casa, ainda não tinha qualquer noção de que ela seria uma criminosa. E nem mesmo quando ocorreu toda a ação dos bandidos dentro de sua casa. O empresário foi amarrado pelos pulsos com uma algema de plástico, teve a arma apontada para sua cabeça, foi agredido, recebeu coronhadas e torturado participando de uma “roleta russa” promovida pelos criminosos. “Neste momento, eu não sabia da participação dela. Mas eu fiquei com a suspeita, logo depois, que ela foi quem abriu o portão para eles (os criminosos). Ficamos no banheiro por uns 15 minutos, até que arrombaram a porta do quarto”, disse o empresário.

Delegado Ademar Canabrava, que investiga o caso, e o empresário Abel Landim, vítima de um golpe (Fotos: Reprodução)

QUEM SÃO OS OUTROS DOIS ENVOLVIDOS NO CASO?

Após vasculhar a casa e encontrar dinheiro, joias, celular e outros produtos para levar, os bandidos se preparavam para fugir em um veículo VW Polo, cor branca, sem placas. O delegado explica o que ocorreu a partir de então. “Foi nesse momento que a Polícia Militar chegou. Dois dos criminosos envolvidos conseguiram fugir pulando o muro. Um dos criminosos que fugiu chegou a pegar uma quantia de R$ 1 mil que o empresário tinha na carteira. Todos estão devidamente identificados, mas ainda estamos atrás de prender os outros dois. Roani e o namorado Francisco, presos em flagrantes, tiveram as prisões convertidas em preventivas. O certo é que nós já temos a confirmação de que o bando ia mesmo sequestrar o empresário”.

O delegado não falou sobre quem são os outros dois envolvidos, entretanto, há uma informação de que seriam dois policiais. O namorado de Roani, Francisco Moisés, inclusive, é filho de um policial que trabalha em Teresina. Ademar Canabrava garante já ter detalhes suficientes desvendando todo o caso e para chegar nos outros dois criminosos. “O empresário pagou as passagens da Roani para que ela viesse de São Luís para Teresina. Porém logo ele percebeu que ela não veio de ônibus, porque estava andando no carro do namorado, já se preparando para cometer o crime. Já deixando claro que tudo foi premeditado. Chegando em Teresina o casal encontrou com essas duas outras pessoas e foram para a casa do empresário. Agora estamos seguindo com as investigações no intuito de conseguirmos mais duas prisões”, pontuou.

Do site oitomeia.com

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

*
*

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael