Logo Elias Lacerda
                           Clínica São Rafael

Perseguição ! Forças políticas conseguem derrubar coronel Viana do comando da PM de Picos

As declarações duras contra o crime e o apoio popular ao trabalho sério que desenvolvia em Picos com especulações de que poderia ser candidato a prefeito da cidade, terminaram por derrubar o coronel Edivaldo Viana do comando da Polícia Militar da cidade piauiense.

A notícia ainda é quentinha e a cidade de Picos em sua maioria da população ainda nem tomou conhecimento, entretanto nas redes sociais já são várias as manifestações de repúdio a medida por parte de populares e a sociedade em geral.

Coronel Edivaldo Viana foi comunicado nesta terça (6) pelo comandante Geral da PM do Piauí que disse ter tomado a medida a contragosto, pois não tinha planos de tirá-lo do comando da PM de Picos.

Edivaldo Viana usou as redes sociais para se manifestar sobre a medida que lhe pegou de surpresa e a todo o povo de Picos e região.

“Foi uma surpresa para mim ter recebido a exoneração. De uma maneira que não gostei. Eu fui exonerado de minha função. E fui exonerado, não por querer do comandante geral, mas por forças políticas. Foram até o governador fazer a minha cabeça porque eu me manifestei quando disse que ‘bandido, em confronto com a polícia, tem que descer as cordas’. Isso causou polêmica e eu não sei o porquê, já que quando morrem pessoas nas filas de hospitais, não criam tanta polêmica. A própria mídia não causa tanta polêmica. E essas minhas palavras foram levadas ao governador, que tenho certeza de que não tinha essa intenção, mas que foi induzido por essas pessoas políticas”, disse ele em trecho de seu áudio.

Saio de cabeça erguida. Estou deixando Picos não como eu gostaria de deixar, porque não existe uma Picos como eu gostaria que fosse: zero em assaltos. Estou deixando Picos, mas fica uma tropa maravilhosa […] com o menor índice de criminalidade. Por dois anos consecutivos fomos escolhidos como o melhor Batalhão, o que mais apreendeu armas, drogas. Estamos deixando uma cidade que passou dois anos sem morrer um cidadão.

Foi oferecido para mim um grande comando na capital, mas não vou aceitar. Não vou aceitar em lugar nenhum. Eles fizeram isso para me silenciar, mas o tiro saiu pela culatra, pois agora estou livre para falar. Vou tirar minha licença especial e minhas férias e não vou denegrir imagem de ninguém. […] Agora vou mostrar a realidade, estou livre para mostrar a realidade. Não vou atacar ninguém. Sempre respeitarei, pois a autoridade é bíblica. Mas não sou obrigado a aceitar as atitudes que estão fazendo com a cidade de Picos. […] saio de cabeça erguida, porque falei a verdade”, disse Edivaldo Viana.

A exoneração do cargo do militar timonense do comando de Picos tem sido vista neste momento como um tiro no pé das forças políticas que tentam com a medida anular Edivaldo Viana e assim afastá-lo das pretensões de disputar as eleições deste ano como candidato a prefeito da cidade. A revolta nas redes sociais tem sido grande em Picos e atinge até cidades vizinhas onde muitos tem manifestado solidariedade ao militar exonerado.

1 comentário

Cel Alves
Comentou em 07/01/20

O Governador do Estado não é do PT? Onde já se viu alguém deste partido apoiar a polícia, ainda mais a militar?

Deixe um comentário

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael
Ateliê dos Doces