Informes rápidos do eliaslacerda.com

Em busca de uma Cavalaria da PM para Timon

Suplente que praticamente nunca deixou a titularidade, inteligente, líder do governo na Assembleia, o deputado Rafael Leitoa tem uma postura elogiável e reconhecida por aqueles que conseguem fazer uma análise de desempenho de um político sem colocar as paixões políticas acima da imparcialidade. Boa parte deste reconhecimento se deve a postura irrequieta do deputado de estar sempre buscando conquistas e benefícios para Timon.

Por conta deste esforço, Timon está conquistando um ginásio novinho (Centro da Juventude, da avenida Teresina), Caic está sendo reconstruído para funcionar a Escola Militar, uma Companhia da Polícia Militar deve ser instalada na cidade, O IEMA que estava abandonado foram retomada suas obras e inaugurado, a cidade ganhou também a Delegacia de Entorpecentes, vai ganhar três ambulâncias em dezembro fruto de emenda do deputado, dentre outras conquistas frutos da luta do deputado timonense.

Dono de escarafunchar o que pode ser trazido para Timon, na última sexta-feira (17) durante solenidade no 11º Batalhão da Polícia Militar de Timon para promoção de militares, o deputado não perdeu tempo e foi flagrado pelo eliaslacerda.com numa animada conversa com o comandante da Cavalaria da Polícia Militar do Maranhão,Coronel Márcio Silva, onde sondava o militar  sobre a possibilidade de trazer uma cavalaria para a cidade timonense.

Não ficamos sabendo no que deu a conversa…

 

Coronel linha dura

Considerado um militar linha dura, o comandante da PM do Maranhão, coronel Pereira durante solenidade no 11º Batalhão para promoção de militares por bravura ressaltou o trabalho dos promovidos e disse que o policial militar não pode baixar a guarda. “Ele tem que ser permanentemente policial, sob pena de ser surpreendido pelo bandido. Eu nunca deixei essa paixão. O que mais gosto é de entrar numa viatura, sair pra rua e ouvir aquela sirene, e combater a bandidagem. O policial não pode perder a motivação”, destacou.

Pereira também pincelou rapidamente sobre a situação do Rio de Janeiro, estado onde mais policiais militares são mortos no país. “O Rio de Janeiro é a cidade mais bonita do mundo, mas a corrupção, a incompetência e a safadeza estão destruindo aquilo lá”, enfatizou.

 

Um promotor que se preocupa coma a cidade

Um promotor a serviço da cidade e busca de soluções de seus problemas. Assim é conhecido o promotor Antonio Borges, de Timon. Com um estilo de priorizar o diálogo como a primeira forma de alcançar soluções para os problemas, Borges arrancou elogios do Batalhão do Corpo de Bombeiros local ao conseguir intermediar com sucesso a solução de um problema que há quatro anos existia na cidade: a falta de um telefone de três dígitos que a corporação pudesse colocar à disposição da população timonense.

Foram quatro anos de longa espera de uma solução. Nesse tempo, quando o timonense ligava para o 193 para pedir socorro ao Corpo de Bombeiros de Timon, a ligação caía em Teresina e até em Imperatriz.

Antonio Borges enviou ofício a Agência Nacional de Telecomunicação (ANATEL) cobrando uma solução do problema e ressaltando a importância do timonense ter acesso ao Batalhão de Bombeiros da cidade via telefone sem que a ligação caísse em Teresina ou em outra cidade. A solução chegou e depois da intermediação do promotor agora as ligações tanto fazer ser feitas de fixo ou de celulares são direcionadas para os bombeiros de Timon.

 

Alexandre Almeida para o senado ?

Foi , sem dúvidas, o assunto da semana passada a matéria publicada no eliaslacerda.com com a análise de uma possível candidatura do deputado Alexandre Almeida para o senado no próximo ano. Para alguns, a declaração do deputado de que este é um plano B seu para próximo ano é puro blefe e o parlamentar está em fuga de uma derrota certa, pois não consegue se reeleger deputado.

Outros consideram totalmente genial a ideia para a oposição de Timon, em especial para o próprio Alexandre. Entendem que o timonense sendo candidato ao senado neutraliza e muito a força dos Leitoas em favor de Weverton Rocha e José Reinaldo, tendo em vista ser em Timon um dos principais colégios eleitorais dos aliados do governador Flávio Dino para o senado, sendo que Alexandre candidato ao senado muitos eleitores timonenses vão preferir votar no candidato da terra.

 A idade do deputado

Com 34 anos de idade e com previsão de completar 35 somente no dia 4 de setembro do próximo ano, Alexandre Almeida foi apontado por alguns leigos sobre legislatação eleitoral, como um carta fora do baralho com essa candidatura ao senado, tendo em vista que a idade mínima para ocupar um cargo de senador é de 35 anos.

Mas caso esse plano venha mesmo vingar a tese da idade mínima não obstrui Alexandre Almeida, pois com 34 anos ele pode ser candidato e caso venha acontecer uma improvável vitória do deputado para o senado, ele para assumir já estaria com os 35 anos exigidos pela lei.

Resumindo,  este definitivamente não é o problema para uma candidatura ao senado de Alexandre Almeida. Pode ser outros…

 

A agonia de Carlos Brandão

Fiel, leal, sério. O vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão tem todos esses méritos, mas essas características mesmo assim ainda não lhes garantem a permanência como o vice de Flávio Dino em 2018.

O nome de Carlos Brandão transitava tranquilo nos bastidores do governo para continuar sendo o nome mais forte para continuar sendo candidato a vice novamente até meses atrás antes do inferno político passado na Lava Jato pelo senador tucano e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves.

Denunciado e em risco de ser afastado do mandato, Aécio teve que assumir compromissos com o Corregedor de Justiça do senado,João Alberto, senador pelo Maranhão e aliado de José Sarney, que lhe garantiu no mais importante legislativo do país.

A salvação do tucano mineiro, claro, teve um preço: tirar o PSDB da base de apoio de Flávio Dino no Maranhão. Resultado; sobrou pra Carlos Brandão, que perdeu o comando do PSDB no estado e agora apesar de toda suas credenciais de boa gente e político respeitado, corre sérios riscos de não continuar vice de Flávio Dino em 2018.

 

Cadê os 400 fantasmas da saúde?

O governo Flávio Dino já solicitou a polícia federal que envie a relação dos nomes dos cerca de 400 funcionários que seriam fantasmas~na Secretaria Estadual da Saúde. Até o fechamento desta coluna a polícia federal não havia enviado a relação, numa prova de que a operação quando foi colocada sob suspeição por muita gente tem razão pra tal.

 

E a sorveteria? Mais uma inverdade…

A informação de que uma sorveteria prestou serviços hospitalares para a Secretaria de Saúde do Estado (SES) até fevereiro de 2015 é inverídica.

Diferentemente do que declarou o delegado da Polícia Federal, Wedson Cajé Lopes (foto acima), que comandou a “Operação Pegadores”, a empresa CCO Indústria de Sorvetes Ltda., criada em 22 de janeiro de 2010 deixou de existir em 2013.

Documentos do contrato de constituição da empresa provam que esta deixou de ser sorveteria em 4 de outubro de 2013, portanto dois anos antes de Flávio Dino assumir o governo, em janeiro de 2015.

A cláusula 4ª do contrato social altera a denominação social para Ágora Empreendimentos Educacionais Ltda.

O objeto social da Ágora, segundo a cláusula 5ª, alterou-se para treinamento em desenvolvimento profissional e gerencia; educação profissional de nível técnico (consultoria).

Em 2015, houve nova alteração contratual e a empresa Ágora passou a ser denominada ORC Gestão e Serviços Médicos Hospitalares Ltda-ME.

A cláusula 3ª do contrato social estabelece como objeto social atividades de atendimento hospitalar, exceto pronto socorro e unidades de atendimento de urgências.

Operação política

Os documentos registrados na Junta Comercial do Maranhão põe por terra as afirmações da Polícia Federal de que uma sorveteria seria prestadora de serviços hospitalares para a Secretaria de Estado da Saúde.

Na verdade, nunca uma operação da polícia federal foi tão política quanto esta desastrada que fizeram na semana passada no Maranhão.

(Com informações da coluna O Informante)

2 cometários

Miguelin
Comentou em 20/11/17

Sou de Timon e não votaria no Alexandre. Não votaria por: seu estilo de fazer política, baixa, sem repeito ao opositor, pela maneira de como se portava nos debates à prefeito; Por ser aliado dos Sarney, afilhado da Roseana, queridinho da madrinha; pode ter umas ideias legais, não sei, não conheço muito quanto a isso, mas ainda não me convenceu só por isso. Precisa de mais!

Miguel
Comentou em 20/11/17

Concordo com o xará Miguelim. Também não votaria não…

Deixe um comentário

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
TekyNik