Destaques

Maranhão deve antecipar R$ 1,5 bi de créditos do Fundef

O Governo do Maranhão foi autorizado nesta quinta-feira, 9, pela Assembleia Legislativa a contrair empréstimo de até R$ 1,5 bilhão com créditos do extinto Fundef como garantia.

O Maranhão tem uma demanda judicial, no STF, contra a União, na qual já existe entendimento das partes sobre direito do Estado sobre R$ 3,8 bilhões – o valor pode chegar a R$ 4,2 bilhões.

Desse total, 60% devem ser obrigatoriamente pagos a professores e os outros 40% (ou algo em torno de R$ 1,5 bi) podem ser utilizados pelo governo em várias áreas.

Com a autorização aprovada pelos deputados, o Estado poderá negociar esse valor com os bancos, antecipando o recebimento do crédito, e pagando à instituição financeira porventura contratada apenas quando o assunto for encerrado no STF e o precatório for depositado ao Tesouro Estadual.

Do Gilberto Leda

7 Comentários

    1. Esperamos receber o que nos é de direito…que Deus nos conceda esta benção em nome de Jesus!

  1. Gostaria de saber porque até agora o sistema da neoconsig não atualizou,estamos impossibilitados de fazer empréstimos ou refinanciamentos por conta desse atraso, peço a você em nome dos funcionários Públicos do Estado que veja o motivo. O Governador concedeu 5% de margem,já está implantado no contracheque,mais devido a esse atraso nada pode se fazer. Estamos precisando urgente dessa resposta. Um abraço e fique com Deus!

  2. Estamos sabendo que existe uma briga interna entre duas consignatárias e nós estamos no meio dessa briga,impossibilitados em fazer qualquer operação financeira. Francamente,peço a você que descubra o que realmente está acontecendo.

  3. Muito bom, feliz pelo professor(a)!!! Porém triste pelo administrativo geral SEDUC- Ma. Recebi umas perdas salarial no final do último mandato da Roseana Sarney. Poderia entrar na justiça pelo tempo de serviço. Mas de que adiantava?? Só tinha eu como administrativo de Estreito,Ma. Não teria a menor chance…os próprios colegas me alertaram: entra no acordo, pois pelo menos esse tu recebes! Depois o enorme aumento do Dino… Só Recebi vantagens, tinha tempo, mas não idade. Até aí tudo bem! Trabalhei mais tempo por isso. Ao completar 55 anos, dei entra na aposentadoria, passaram 3 anos para publicar no Diário Oficial. Só aí deixou de descontar a FEPA. E não tenho direito de receber o que foi descontado os 3 anos. Entrei em contato com Adv. E disse-me que tinha uma lei que se passasse do prazo, não teria direito. Não fui informada sobre isso. E não imagina que teria que pedir algo, que não sabia se iriam continuar descontado, pois creio, que a partir do momento que entro com pedido de aposentadoria, creio que o correto seria assim. E por último sobre não
    descontar o consiguinado durante a pandemia por 03 meses… só dor de cabeça. Estado perdeu a causa para o Banco do Brasil, e acabou sobrando para o servidor. Triste

  4. Espero que pague o que é nosso por direito, já chega de enrolação. Fica empurrando com a barriga pra vê se cola.

Faça um Comentário

Elias Lacerda

Elias Lacerda

Elias Lacerda
Jornalista apaixonado pela notícia e a verdade