Logo Elias Lacerda
                           Clínica São Rafael

Mudança de comando na Câmara de Timon não deverá mudar clima de brigas na casa

Logo mais a partir da meia noite, o atual presidente da Câmara Municipal de Timon, Uilma Resende (PDT), deixa a direção da casa, pois chega o final do seu mandato de dois anos. No lugar dele assumirá a vereador Socorro Waquim, do MDB, por ser a mais velha e mais bem votada vereadora do legislativo municipal. A investidura da vereadora no cargo é automático pela vacância deixada por Uilma Resende.

A partir do momento que assumir, Socorro Waquim não poderá chamar a eleição para a presidência da casa, mas sim convocar os vereadores para a realização da Sessão Extraordinária que não foi terminada dias atrás para votação do Orçamento 2019 do governo municipal. Somente após o término da sessão é que a nova presidenta poderá publicar a data da eleição.

Representando o G11, grupo de vereadores de oposição, Socorro Waquim tem como candidato Helber Guimarães (SD) que deve disputar a eleição com o vereador Francisco Torres (MDB).

A expectativa é de que qualquer resultado que tenha a eleição, a briga na casa que já teve nesta legislatura vereador tomando microfone das mãos do presidente da casa enquanto este falava, outro acusado de ser usuário de drogas, outro de ser traficante de drogas, outro de ser mandante de assassinato, não terá trégua.

Os governistas prometem fazer com a oposição exatamente o que a oposição fez com eles quando dirigiam a casa. “Se ganharem as eleições eles agora serão a vidraça. Vamos ficar de olhos bem abertos fiscalizando e denunciando quando cometerem qualquer ato de irregularidade naquele legislativo”, promete um governista.

Por estas e outras é que se tem uma previsão fácil de acertar para 2019 é a de que a Câmara Municipal de Timon vai continuar promovendo brigas em qualquer dos resultados da eleição da casa…

1 comentário

Francitânia
Comentou em 02/01/19

Aí é para o povo ficar ciente do nível cultural das pessoas que elege para representá-lo. Afinal, a educação não se adquire em bancos escolares: vem de casa. Basta saber a escolaridade da maioria dos vereadores e presenciar uma sessão, chega a ser estarrecedor!

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

*
*

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael