Destaques

Mudança no comando do MDB de Timon deixa feridas na oposição

Acima o ex-deputado federal Sétimo Waquim e abaixo o coronel Schnneyder; Mudança no MDB deixou feridas.

As oposições de Timon desde a semana passada ganhou mais uma ferida exposta desde a publicação de que o MDB municipal tem nova diretoria. A destituição do ex-deputado federal Sétimo Waquim da presidência do partido feita pela direção estadual para a colocação da professora  Dóris Schnneyder, esposa do coronel Schnneyder, é o assunto do momento entre a oposição.

Para os aliados do coronel Schnneyder a mudança feita pela direção estadual com a chancela da deputada federal Roseana Sarney foi medida natural, afinal Sétimo Waquim ou nenhum outro membro da ex-diretoria votou em candidatos do MDB na eleição do ano passado.  Nos bastidores eles alegam mais: Reclamam que o diretório que colocou Sétimo Waquim presidente foi feito sem comunicar ao coronel Schnneyder e nem seus aliados que trabalharam pelo partido no passado votando em Roseana para deputada federal.

Por outro lado, os aliados de Sétimo Waquim reclamam que vinham sim mantendo conversas com o coronel e de que as portas do partido para a composição na diretoria nunca estiveram fechadas para Schnneyder e seus aliados.

Mas o que magoou mesmo os aliados de Sétimo Waquim foi o fato da direção estadual do MDB ter abandonado toda a história política do ex-deputado federal no partido. “Sétimo Waquim praticamente só teve um partido como filiado, que foi o MDB. Ele chegou ao partido antes mesmo do primeiro presidente eleito do Brasil, Tancredo Neves”, observou um dos aliados do ex-deputado que pediu sigilo do seu nome.

Nos bastidores há informações de que a ex-diretoria presidida por Sétimo Waquim deverá recorrer a justiça em busca da recondução ao cargo, mas para quem conhece o sistema partidário sabe que dificilmente conseguirá êxito na causa.

O que de fato podemos concluir é o de que o episódio é mais um empecilho que pode criar embaraço para uma possível união das oposições em Timon. Tanto que alguns conhecidos integrantes preferiram não tomar lado na questão. Jaconias Morais e o deputado Leandro Bello silenciaram sobre o desfecho que destituiu Sétimo Waquim. Henrique Júnior foi o único que deu parabéns para Schnneyder e seu grupo por chegarem ao comando do MDB.

E assim segue o jogo…

 

9 Comentários

  1. Uma pessoa sem mandato e um cão sem dono. Infelizmente. Seu tempo já passou. A porca está no calcanhar dele faz tempo.

  2. Tenho um grande respeito pelo ex deputado sétimo waquim fez o seu melhor como deputado para mim foi muito atuante. Mais convenhamos que a política vem mudando a cada dia, eleger o filho a vereador no PSD e deixar sua esposa no PP e o partido sem representatividade e sem expressão nas eleições estaduais. Realmente é da território para outras forças políticas marcarem território mesmo eu não acreditando que mudará muita coisa, pois antecessores já não tinha mais estratégias e os sucessesores não sabem o que é política então a ordem dos fatores não altera o resultado 0x0=0

  3. Na maioria das vezes o comando de um partido político é mantida com quem tem mandato . A democracia é dinâmica, assim como os dirigentes partidários. Estamos numa democracia não numa monarquia .
    “Um dia fui o político de mandato, hoje sou um simples eleitor.”
    Temos a certeza de que sangue novo oxigena o partido que estava no balão .

  4. Na verdade é o caminho de todos que fazem a política partidária. O tal dinamismo político fere a caça hoje e reserva o ferimento para o caçador no amanhã. Observemos que não há mais certeza de nada pois, o incerto é o caminho mais certo, podendo a qualquer momento ser atacado também pelo tal DINAMISMO. Tudo pode mudar porque a história de muitos políticos tradicionais é apenas passado onde pra muitos não tem valor como tese para servir como sustentação alguma preservando aquele,aquela ou aqueles que entendem serem mantidos pela construção de uma sigla.
    Tudo é possível, mais o impossível também pode permanecer perdurado sem ninguém perceber.
    Reflexão.

  5. O MDB a cada eleição sai mais fragilizado e claro que esta fragilização se dá por conta do histórico político de um partido de cima de muro, quer está no poder a qualquer custo, no caso de Timon o MDB vda família Sarney nem fede e nem cheira e sempre saíram derrotados.

  6. O Professor Sétimo Waquim merece todo respeito do MDB no Estado do Maranhão e na cidade de Timon. Ele foi um dos fundadores do partido antes da ditadura militar de 1964 e pós redemacratizacao do país. Nunca mudou de partido como outros políticos. Sempre foi fiel ao MDB. Mesmo sem mandado político merece respeito. Não preciso puxa o saco do Sétimo Waquim como político. Estou falando a luz da história.

  7. A história mostra a todo momento que não adianta remar contra a maré em assuntos como esse, a imposição, seja lá de quem for, nunca traz união. O caminho que o militar trilha hoje já foi desbravado por outros e o resultado nunca é o que se espera.
    pagar pra ver.

Faça um Comentário

Elias Lacerda

Elias Lacerda

Elias Lacerda
Jornalista apaixonado pela notícia e a verdade