Logo Elias Lacerda
                           Clínica São Rafael

“Não acredito que Schinneyder será impedido de ser candidato”, diz aliado sobre reforma eleitoral

A relatora do novo Código Eleitoral, Margarete Coelho (PP-PI), apresentou nesta quarta-feira um novo parecer à Câmara dos Deputados em Brasília. Com 905 artigos, o documento agora inclui a obrigatoriedade de uma quarentena de cinco anos, ou seja, cinco anos após deixar as atividades ou de aposentados,  para militares, policiais, magistrados e integrantes do Ministério Público possam disputar eleições como candidatos.

Caso seja aprovado, a inclusão desta mudança pode ter reflexos em Timon com a pré-candidatura do coronel Schinneyder , assim como em todo o Brasil com outros pré-candidatos militares e até com o ex-juiz federal Sérgio Moro, que é pré-candidato a presidência da república.

Em Timon os aliados do coronel Schinneyder não parecem ter se abalado com a possibilidade de mudança. Alguns que conversaram com o eliaslacerda.com não manifestaram preocupação, pois acreditam que essa alteração no código eleitoral não passará na Câmara Federal.

O advogado Eliomar Feitosa, um dos homens da linha do coronel Schinneyder em Timon argumenta que a alteração no código eleitoral é discriminatória e restringe direitos de militares, juízes e promotores. Ele não acredita que o projeto possa ser aprovado. “”Não acredito que Schinneyder será impedido de ser candidato. Essa reforma não passa”, disse ele.

A mesma opinião comunga o ex-vereador Tales Waquim, um dos nomes que articulam a pré-candidatura do coronel a deputada estadual em Timon. “Mudar as regras do jogo agora não tem sentido. Por esta razão não tenho qualquer preocupação de que essa mudança seja aprovada”, disse.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

*
*

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael