Partes fecham entendimento sobre reabertura das igrejas em Timon após audiência de quase 6 horas

A Cidade de Timon sediou ontem, quinta-feira (16/07) uma audiência inédita entre o Ministério Público, Judiciário, Prefeitura de Timon, OAB/TIMON, OAB/PI, e representantes das igrejas evangélicas, que culminou num acordo judicial para que a partir do dia 27 de julho seja restabelecido todos os efeitos do decreto municipal 150, qual flexibiliza as atividades das organizações religiosas em Timon, mesmo de forma gradual.

A audiência foi necessária em virtude de uma ordem judicial emanada pelo Juiz da Vara da Fazenda Pública desta Comarca, a pedido do Promotor de Justiça, Dr. Antônio Borges, que suspendia os efeitos dos Decretos Municipais 119, 150/2020, normativas davam as igrejas o direito de realizar suas atividades.

Uma audiência que pendurou por quase 6 horas, em que todos puderam fazer suas alegações e argumentações favoráveis e contrárias ao funcionamento das igrejas, um debate que envolveu questões de direito, saúde pública e, sobretudo, a importância desse segmento no atual momento que todos nós vivemos.

Segundo o pastor Antonio Freitas, presidente do Ministério Igreja Assembleia Deus Missões, “essa audiência entra para a histórica da sociedade timonense, e principalmente para a comunidade evangélica, por termos tido a oportunidade de debater numa audiência judicial um assunto tão relevante para todos nós, nós agradecemos muito ao brilhantismo dos advogados que estiveram presente, querendo destacar aqui o Dr. Maurício, por todas as suas colocações e por ter sido o autor do pedido para que acontecesse esse momento.

Para o pastor Wendell, presidente da Igreja Batista Nacional Nova Aliança, “essa audiência foi inédita, histórica e de singular importância para todos os membros das igrejas evangélicas em Timon, em nenhum outro local do Brasil se tem notícias que este assunto foi colocado a mesa numa roda de conversa como aconteceu aqui em Timon, as igrejas são extremamente importante para toda a população e para os seus membros, mas não queremos e nem pretendemos abrir nossas igrejas de qualquer forma, por isso devemos reconhecer que da forma que foi feita foi a melhor maneira, conversando com todos os envolvidos na questão, queremos aqui louvar a Deus pela vida do Dr. Maurício, que sempre esteve conosco nesta batalha, aos demais advogados que participaram da audiência e muito puderam contribuir, ao Promotor de Justiça, que sempre pretendeu o melhor para todos nós, ao Juiz, que sensatamente e atentamente ouviu a todos os .presentes, e ao final tomou a melhor decisão. Também, agradecer a prefeitura de Timon, que desde que começamos a vivenciar o atual momento sempre procurou ouvir as igrejas e não mediu esforços para chegar onde chegamos.

Para Maurício Alves, advogado da União das Igrejas Evangélicas de Timon que solicitou para que acontecesse a audiência, o momento foi único na história do combate a covid 19 no Maranhão, Região e quem sabe do Brasil. “O promotor de justiça de Timon, o Juiz da Vara da Fazenda Pública estão de parabéns em terem aceitado realizar esta audiência, e por certo não estão arrependidos, pois encontramos um consenso que atendeu a todos. Agradecer a prefeitura de Timon, pelo empenho e sensibilidade no trato com este assunto, e por reconhecer que as igrejas são extremamente importantes para toda a população”, analisou o advogado.

3 cometários

DENIS SERVIO
Comentou em 17/07/20

As igrejas precisam deixar de lado seus “interesses” e priorizar o compromisso social.

Teresa Cristina da Silva Martins
Comentou em 18/07/20

Será que a igreja também assumiu o compromisso de dá assistência aos fiéis que por ventura venha se contaminar, sou da saúde e sei que no momento o isolamento social ainda é prioridade.

Teresa Cristina da Silva Martins
Comentou em 18/07/20

Oremos em nossos lares para que Deus proteja nosso país.

Deixe um comentário

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
TekyNik