Logo Elias Lacerda
Clínica São Rafael

Prefeitura de Timon concede aumento salarial para servidores

A Prefeitura de Timon, após negociões com sindicatos, para evitar interrupções nos serviços prestado à população, garante aumento ao funcionalismo aumento de 5% nos salários dos funcionários do Sistema Autônomo de Águas e Esgotos-SAAE, e dos servidores municipais efetivos. Para isso isso teve que fazer cortes, reduções e demissões.

Desde o inicio de sua primeira gestão, Luciano vem adotando medidas para otimizar e reduzir custos, passando por aumento real à algumas categorias, implantação de planos de cargos e carreiras, e otimizando mais ainda toda a máquina administração municipal e ao mesmo tempo não diminuindo os serviços.

Atualmente o município de Timon tem um custo mensal superior a R$ 19 milhões para pagamento de efetivos, contratos, aposentados e pensionistas, totalizando na média 8.000 pessoas que são pagos pela prefeitura. Sendo que deste valor, 43% são gastos com os 3.000 efetivos, aposentados e pensionistas, ficando o restante , mais de 5 mil seletivos( professores não efetivos ), terceirizados em programas, como Saúde da Família, agentes de limpeza e os mais diversos profissionais que diariamente trabalham na máquina administrativa municipal.

Fontes seguras deste blog afirmam que os professores da educação trabalham entre 20h e 40h, mas outros efetivos do município trabalham apenas 30h semanais , ou seja , praticamente apenas um turno , fazendo assim com que a prefeitura tenha a necessidade de ter mais pessoas para trabalhar o outro turno. A carga horária dos efetivos, por lei é apenas trinta horas por semana, enquanto os seletivos e contratos trabalham quarenta horas.

Nosso informante que conhece bem a parte financeira do governo fez um cálculo rápido: “se todos efetivos trabalhassem quarenta horas semanais, a prefeitura economizaria de 20 a 30% na folha de pagamento, algo em torno de R$ 5 milhões mensais, totalizando cerca de R$ 60 milhões em doze meses para investimentos em outras áreas. Essa economia possibilitaria, por exemplo, cerca de 200 quilômetros de asfalto novo por ano no município.”

O prefeito Luciano Leitoa vem permanentemente negociando com os representantes das diversas categorias de servidores, mas sempre atento aos limites possíveis pelo caixa do executivo municipal. A nossa fonte, que transita e opina no alto escalão do governo por fazer parte da administração não quis se identificar, mas explica que “muitas vezes os representantes das categorias fazem propostas que não se sustentariam e colocaria a prefeitura em um colapso de atraso salarial , como acontece hoje em muitos municípios e estados brasileiros . Nossa fonte disse que o prefeito não fará nada que comprometa o futuro da cidade e que ele não arredarar um milímetro no sentido de fazer com que Timon continue avançando, mesmo com a crise . Soubemos que a proposta feita pelo Sindicato dos Servidores efetivos causariam um impacto anual de mais de R$ 15 milhões na folha de pagamento, beneficiando pouco mais de 400 servidores que só trabalham 30 horas semanais.

Outra medida benéfica tomada pelo prefeito foi o aumento de 50% para todas as categorias de efetivo com nível superior, excetuando as que possuem planos de cargos e carreiras próprios, como os servidores da educação. Tivemos a informação inclusive de professores que estão no final de carreira e que tem doutorado que chegam a ganhar mais de 7 mil reais por mês .

É isso…

3 cometários

Fábio
Comentou em 08/12/17

essas informações estão destorcidas e visivelmente maquiadas, o que não é de se admirar, visto que a sua fonte é tão suja e questionável quanto as informações partidárias que aí estão.
Não estou aqui questionando o seu trabalho, sou inclusive leitor, porém, ja que se trata de um conteúdo questionável, onde se mostra apenas um lado da moeda, acho que seria de bom tom dá oportunidade para que os envolvidos diretamente citados nesse discurso se manifestassem também, para elucidar alguns pontos como: aumento salaria que não existi, o que houve foi um reajuste deficitário de 5% o que é bem diferente de aumento salarial e para o nível superior o que aconteceu foi a correção de uma injustiça causada por eles mesmos quando colocou dois profissionais de uma mesma categoria ganhando valores diferentes, correção esta, obrigada a ser feita por força de lei, dar é uma coisa, ser obrigado a corrigir-se com puxão de orelhas da mãe justiça é outra coisa, e por ultimo, o sindicato dos servidores efetivos apresentou uma Proposta do plano de trabalho e aguardava por parte da gestão a readequação e contra-proposta, tão logo o prefeito sem ideias para negar o direito que aspira ao servidor, fingiu acreditar que a proposta e ele enviada era uma imposição final e inquestionável do sindicato, sendo assim conveniente dizer que seria inviável ao município.
Mascarar as palavras omitindo a real informação trazida por elas é uma coisa fácil de se fazer e muito conveniente quando se há muito a se esconder.
Meu nome é Fabio Mesquita não voto em Timon, não moro em Timon e nem dependo de político para trabalhar em Timon, não tenho partido nem simpatias políticas, a única coisa que quero é justiça.

Cleydson
Comentou em 10/12/17

Na reportagem menciona quer são em média 8.000 pessoas que são pagos pela prefeitura. Sendo que são 3.000 efetivos, aposentados e pensionistas e 5 mil seletivos( professores não efetivos ), terceirizados e contratados. Então de acordo com os números da própria reportagem existe uma grande disparidade, já que o numero de efetivo é menor, acho que ha fonte do blogueiro falta com há verdade ou estar igual ao site de transparência do município, é sem informação alguma.

Lécio Adriano
Comentou em 11/12/17

… Sou servidor público concursado…ninguém me deu esta vaga; não fui eleito ou indicado por alguém; trabalho com dedicação; minha estabilidade não é um privilégio – ela tem previsão legal e visa à proteção do servidor público concursado, para que possa atuar com independência, boa técnica, competência e seguindo os princípios morais, éticos e legais, SEM O RISCO DE SER PREJUDICADO por interesses espúrios ou assédio moral. Não tenho direito a FGTS.
É um direito e não privilégio. Concurso público é para todos, basta ser aprovado.
-É INJUSTO e COVARDE ver campanha na mídia desmoralizando os servidores públicos, estáveis ou não;
– Se o governo está em crise, a culpa não é de quem estudou e passou em concurso público;
– NÃO SONEGO IMPOSTOS (ele já vem retido na fonte), e todos os anos faço minha declaração de renda, e pago o Leão; ao contrário de muitos que burlam o sistema, além de receberem incentivos fiscais;
– A crise nas finanças públicas é resultado de corrupção, renúncias fiscais, inadimplência dos grandes devedores, uso indevido da finalidade e má administração dos recursos públicos.
– Não se deixe enganar! A crise econômica e política, a falta de acesso à saúde, ao ensino e à segurança pública e aos demais serviços por parte da população NÃO É CULPA dos servidores públicos.
E o pior, grandes empresas e bancos sonegam impostos e têm suas dívidas perdoadas.
Colega servidor(a), ativo ou inativo, copie, edite, mande para seus contatos cole no seu mural e repasse! …

Deixe um comentário

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael
TekyNik