Em carta, Dirceu compara delatores a ‘cachorros da ditadura’

Dias antes de ter prisão revogada, petista fez duras críticas ao Ministério Público Federal, à Polícia Federal e ao juiz Sérgio Moro

Pouco antes de sair a revogação de sua prisão preventiva, Dirceu atirou para todos os lados em carta a amigos

Dias antes de conseguir do Supremo Tribunal Federal (STF) a revogação de sua prisão preventiva, José Dirceu escreveu da prisão uma carta de 14 páginas publicada na edição desta quarta-feira do jornal O Estado de S.Paulo. Com termos bem duros, ele comparou os delatores da Operação Lava Jato a “cachorros da ditadura”, defendeu uma virada à esquerda do PT, criticou o Ministério Público Federal, a Polícia Federal e o juiz Sérgio Moro.

Segundo o ex-ministro, há uma grande trama com o objetivo de colocar Lula na cadeia para que ele não seja candidato em 2018. Disse Dirceu: “Darão outro golpe, condenarão e prenderão Lula? Serão capazes dessa violência e ilegalidade? Veremos”.

Segundo o jornal, Dirceu leu 28 perguntas e, com base nelas, escreveu sua última carta do cárcere.

Dirceu foi condenado a 32 anos e 1 mês de prisão por Moro em dois processos da Operação Lava Jato. Ontem, terça-feira, foi aberta uma nova denúncia contra o petista pelo Ministério Público Federal, por receber mais de 2,4 milhões de reais em propina.

O petista escreveu na carta que espera ser absolvido de todos os crimes. “Se há juízes em Brasília sairei da prisão e serei absolvido. Trata-se de um processo político, sumário, de exceção.” E criticou as decisões de Moro. “Na prática, eu estou condenado à prisão perpétua. Basta somar as penas – 32 anos e 1 mês que, mesmo unificados, como determinou o juiz, são 25 anos e 6 meses. Como não se autoriza a progressão penal sem a repara ção do dano, serei obrigado a cumprir a pena em regime fechado. Toda a pena.” Dirceu escrevia antes do julgamento do habeas corpus do Supremo Tribunal Federal, que o libertou.

Segundo Dirceu, as delações na Lava Jato são “forçadas, ilegais fruto das prisões preventivas”. “É delação ou prisão perpétua. Feitas de encomenda e de comum acordo são como os chamados ‘cachorros’ (presos que, sob tortura, aceitavam mudar de lado) da ditadura.” O petista afirmou ainda: ‘Não tinha e não tenho que delatar”.

Dirceu defende na longa carta formas para conter o poder do poder Judiciário. “Juízes e promotores têm lado, ideologia, são aliados de forças políticas e econômicas que deram o golpe. Foram transformados em celebridades.” E conclui: “É preciso aprovar a Lei de Abuso de Autoridade, rejeitar as 10 medidas (contra a corrupção) e submeter o Ministério Público Federal à lei. Abrir a caixa-preta de seus vencimentos, vantagens e privilégios, colocar o MPF sob controle externo e devolver à PF a sua função constitucional de polícia judiciária da União”.

(Da veja.com)

1 comentário

rafael
Comentou em 03/05/17

ditadura é essa que estamos vivendo!criminosos soltos,desemprego,fata de saúde pública,segurança,diferente do regime militar,que apesar de não ter vivido nessa época,mas estudado descobri que não era como nos livros conta!

Deixe um comentário

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
TekyNik