Logo Elias Lacerda
                           Clínica São Rafael

Polícia prende acusado de matar funcionário do Comercial Carvalho dentro do supermercado em Teresina

O suspeito de matar a tiros o funcionário do comercial Carvalho Sidivaldo Bacelar foi preso na manhã desta quinta-feira (27) por policiais da Delegacia de Homicídios. O crime aconteceu no último dia 17 de julho dentro do estabelecimento onde a vítima trabalhava, na Avenida Joaquim Nelson, bairro Dirceu, na zona Sudeste de Teresina.

O auxiliar de Segurança do Trabalho, Dorival Ferreira de Almeida (na foto acima), se apresentou à Delegacia acompanhado de advogados. O suspeito ficou preso porque já havia um mandado de prisão temporária expedido contra ele.

Em depoimento, Dorival confessou o crime, mas não deu detalhes sobre a execução do homicídio. O delegado Emerson Almeida informou que o suspeito demonstrou frieza durante o interrogatório e que ficou claro para a polícia que a motivação do assassinato foi passional.

“Temos convicção que ele foi ao supermercado também para matar a ex-esposa. Foi um crime premeditado”, conta o delegado.

O delegado informou que Dorival ameaçava a ex-esposa desde o início deste ano. Em uma última ameaça, ele teria prometido que, se em 24 horas ela não fosse embora de Teresina, seria assassinada. O suspeito não aceitava a separação e perseguia a ex-mulher. Ela chegou, inclusive, a registrar dois boletins de ocorrência contra o antigo companheiro, mas não quis levar as denúncias adiante.

Delegado Emerson Almeida

À imprensa, Dorival não deu declarações sobre o crime e permaneceu calado. A família de Sidivaldo compareceu à Delegacia de Homicídios para acompanhar a prisão do suspeito. A irmã da vítima, Ivanilde Bacelar, espera que a “justiça seja feita” e que Dorival permaneça preso.

Abalada, Ivanilde relatou que Sidivaldo era casado e pai de três filhos. Os familiares não tinham conhecimento do caso extra conjugal da vítima e também desconchecem a mulher com quem ele estaria se relacionando. Os dois trabalhavam juntos no supermecado.

 

Irmã e sobrinha da vítima

“Ele [Dorival] acabou com minha família e vai ter que pagar. Foi covarde. Tirou a vida do meu irmão. Um homem que nunca fez mal a ninguém, que todo mundo gostava. Ele nunca falou para a gente sobre essas ameaças”, conta a irmã da vítima.

Agora, a Polícia Civil tem prazo de 30 dias para concluir o inquérito que apura a morte do funcionário do supermecado. “Já é certo que vamos pedir à Justiça que a prisão temporária seja convertida para preventiva”, garante o delegado Emerson.

A Polícia também irá realizar diligências para encontrar duas armas que estavam de posse do suspeito: dois revólveres de calibre 32 e 38. “Ele disse que perdeu as armas, mas não fomos convecidos dessa versão”, acrescenta o delegado.

Dorival não tem antecedentes criminais. Após exames, ele será encaminhado ao sistema prisional do Estado.

Sidivaldo Bacelar foi morto dentro do supermercado

(Do cidadeverde.com)

Deixe um comentário

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael