Logo Elias Lacerda
Clínica São Rafael

Jornalista é preso acusado de matar a irmã advogada em Pedro II, no Piauí

O jornalista e bacharel em direito João Paulo Mourão foi preso no final da tarde desta segunda-feira, 15 de fevereiro, acusado de matar a própria irmã, a advogada Izadora Santos Mourão, de 41 anos, no último sábado na cidade de Pedro II. A vítima foi assassinada com sete facadas no pescoço e no peito.

A informação foi confirmada ao meionorte.com pelo coordenador do Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa, delegado Francisco Costa, o ‘Baretta’.

“Nós trabalhamos com investigação criminal por diretrizes e um desses princípios é a possibilidade e a probabilidade, então quando o Secretário de Segurança e o delegado geral nos recomendou que enviássemos uma equipe para lá nós fizemos o trabalho inclusive entrevistando pessoas e durante esse trabalho eles viram várias lacunas que tinham na investigação. O delegado procedeu novas diligências e requisitou novas perícias, inclusive a complementação do laudo cadavérico de exame de local de crime e partiu em outra diligência chegando a autoria material que é atribuída ao senhor João Paulo que é irmão da vitima,  o instrumento do crime foi apreendido, ele após o crime entregou a faca na casa de uma tia e a tia após saber que o DHPP estava na cidade, temendo que a polícia chegasse a ela, como chegaria e como chegou, ela simplesmente chamou ele e devolveu a faca”, afirmou Baretta.

João Paulo ainda chegou a conceder uma entrevista exclusiva para o repórter Kilson Dione, da Rede Meio Norte, na noite de sábado e falou que a vítima se encontrava em casa dormindo no momento do ataque e que a suspeita do crime teria atuado a mando de uma organização criminosa (reveja o vídeo abaixo):

Baretta acrescentou ainda que a mãe da advogada pode ter sido cúmplice do crime. “A partir das 07h do dia 13 de fevereiro nenhuma pessoa entrou naquela casa, nós procuramos ouvir pessoas, bem devagar, uma por uma, não encontramos. Inclusive a mãe deles quando verificou a moça já morta não se preocupou em ligar para a polícia tampouco pedir socorro, ligou para uma faxineira para que a faxineira falasse para a polícia que quando chegou lá ele estava dormindo”, disse.

Momento da prisão do jornalista na cidade de Pedro II – Foto: Opala News

Sobre uma possível motivação do crime, Baretta declarou que a relação entre os dois não era boa e João Paulo sempre ameaçava a irmã. “A motivação não está bem explícita até porque eles tinham desavenças internas, ele inclusive ameaçava a irmã. Ele nega a autoria material do crime, mas as provas falam bem alto e nós não temos nenhuma dúvida que foi ele realmente que tirou a vida da advogada Izadora. Nós temos 10 dias para concluir o inquérito policial e outras diligências serão juntadas ao inquérito”, finalizou.

Momento da prisão do jornalista na cidade de Pedro II – Foto: Opala Nwes

Momento da prisão do jornalista na cidade de Pedro II – Foto: Opala News

 

Do meionorte.com

2 cometários

Francisca Biú
Comentou em 16/02/21

Isso é um animal frio, e precisa apodrecer na cadeia

SOARES
Comentou em 16/02/21

NESTE CASO ….DEVERIA TER PENA DE MORTE OU PRISAO PERPETUA….

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

*
*

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael