Policial

Polícia já matou 15 bandidos em operação no Tocantins; Um deles estava com sacos nos pés

Um dos criminosos mortos em confronto com a Polícia Militar durante a operação Canguçu estava usando sacos de fibras sintéticas enrolados aos pés. Essa seria uma estratégia para tentar se deslocar pela mata sem deixar rastros e com isso tentar escapar das buscas.

O homem foi um dos seis mortos em confrontos entre segunda-feira (1°) e terça-feira (2), na região de Marianópolis do Tocantins. Desde o início da operação em território tocantinense já são 15 criminosos mortos e dois presos.

O grupo é suspeito de aterrorizar a cidade de Confresa (MT). Após a tentativa frustrada de assaltar uma transportadora de valores, os criminosos fugiram para a zona rural do Tocantins e vem deixando um rastro de crimes.

Fortemente armados, inclusive com fuzis furtados da Polícia Militar de São Paulo, de onde a maioria é oriunda, os criminosos têm feito pessoas reféns em fazendas e até na área urbana de Marianópolis. Uma família ficou sob poder dos criminosos por oito horas. Áudios divulgados nas redes sociais mostram o medo dos moradores.

As buscas continuam sem um prazo para acabar. No início desta semana a PM reforçou a orientação para que a população da região evite os deslocamentos, sobretudo na rodovia TO-080 e em suas proximidades, devido à presença na região dos criminosos que permanecem fortemente armados.

Assista ao vídeo abaixo da operação

A SSP do Tocantins informou os estados de origem dos 17 criminosos presos ou mortos durante a Operação Canguçu:

  • Nove são oriundos de São Paulo, sendo sete mortos e os dois suspeitos presos
  • Dois são do Maranhão
  • Um de Pernambuco
  • Um de Goiás
  • Um do Pará
  • Três deles não tiveram a origem identificada

As buscas no território tocantinense começaram no dia 10 de abril, depois que os criminosos fugiram do Mato Grosso e entraram no estado usando embarcações e navegando pelos rios Araguaia e Javaés. Os militares percorrem uma área de 4,6 mil km, em quatro cidades.

A força-tarefa para caçar os criminosos conta com cerca de 350 policiais de cinco estados, três helicópteros, embarcações, drones e cães farejadores. As buscas não tem prazo para acabar.

Os confrontos voltaram a se intensificar durante o fim de semana, quando os criminosos suspeitos de aterrorizar a cidade de Confresa (MT) se aproximarem da zona urbana de Marianópolis.

Do G1

1 Comentário

Faça um Comentário

Elias Lacerda

Elias Lacerda

Elias Lacerda
Jornalista apaixonado pela notícia e a verdade