Logo Elias Lacerda
Clínica São Rafael

Investigadores lançam cartilha para a população com recomendações que podem evitar assaltos

Diante da onda de violência que assola o Piauí, o Conselho Estadual dos Investigadores Profissionais (CDPEPI) decidiu divulgar, para a sociedade, uma espécie de cartilha, orientando como as pessoas se comportarem para, ao menos, reduzir a quantidade de ataques de criminosos.

O presidente do conselho, Inspetor Cristino Abílio, observa que uma média de 90% dos assaltos podem ser evitados, com o fator prevenção. Antes de atacar uma vítima, o bandido avalia toda a situação antes da abordagem. É, exatamente, o melhor momento para uma pessoa atenta interromper a ação do marginal.

Para ficar atento, segundo a apostilha dos investigadores profissionais, é importante saber que o bandido não gosta de ser expor, sempre seleciona a vítima antes do ataque, sempre escolhe a pessoa que está mais fácil de ser atacada, mais despreparada.

Durante o ataque o bandido fica nervoso e com medo. Nunca esquecer que reagir é uma atitude de alto risco. Qualquer movimento por parte da vítima pode ser fatal. O bandido da atualidade também não tem uma característica exata. A participação de mulheres no mundo do crime também cresceu muito.

Quem anda pelas ruas deve ficar atento ao comportamento das outras pessoas. Observar quem está com as mãos escondidas (geralmente por dentro da roupa). O ladrão sempre olha para sua presa.

Diz o “manual contra o crime”, “caminhe observando tudo que acontece ao seu redor em um saio de 360 graus. Caso observe alguém que considere ser suspeito, não deixe que ele se aproxime. Caso ele já esteve a uma distância de menos de 20 metros, não tem mais o que fazer, perdeu playboy”. Saiba que ninguém assalta à distância. “O bandido tem o espaço como seu inimigo, ele precisa fechar o espaço para fazer a abordagem”, ensina Abílio.

Ainda pela orientação, quando a vítima perceber que o marginal está fechando o espaço, mude de calçada, de lado da rua, se for o caso volte, se afaste do elemento. Grite, mas nunca a palavra “socorro”. Essa palavra faz as pessoas que estão ao seu redor correrem também. Grite o nome de um homem, faz o bandido pensar que existe outra pessoa com você.

Outro tipo de abordagem comum é na chegada ou saída de casa e do trabalho. Nunca pare de uma vez. Olhe o movimento antes, faça a volta no quarteirão, vendo a movimentação.

Sempre que parar o seu veículo, mesmo que seja por alguns segundos, tire a chave da ignição. Nunca deixe a chave de casa dentro do veículo. Nunca fique dentro do carro estacionado. Não deixe nenhum objeto de valor dentro do carro. Caso veja alguém mexendo em seu carro, nunca se aproxime, chame ajuda.

Nunca coloque em seu veículo adesivo que possa identificar onde você trabalha, estuda ou mora. Mantenha sempre os vidros do carro fechados. Caso alguém bate levemente na traseira do seu carro, verifique se existe uma atitude suspeita do veículo que bateu, se tem mais de uma pessoa; caso desconfie, sinalize para a pessoa lhe seguir até um local seguro (delegacia, quartel, etc..). Se o veículo furar o pneu a noite, nunca pare; dirija até um local movimentado. Bandidos colocam pregos em locais estratégicos para assaltar quem pára. Um bandido dificilmente aborda um veículo em movimento.

Criminosos usam mulheres e crianças como iscas. Caso você desconfie que está sendo seguindo, dirija rumo a um quartel ou delegacia. Caso alguém jogue algum produto em seu vidro, nunca ligue o limpador, pode ser um tipo de resina que embaça a visão e para finalizar, a apostila ensina que em caso do veículo ser atingido por algum objeto o condutor não deve parar.

(Do Portal AZ)

anuncio-hotel

Deixe um comentário

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael