Destaques

Preso em São Luís acusado de ser mandante do assassinato de 4 homens no Piauí

Jhon Lennon dos Santos Abreu, suspeito de ser o mandante e um dos executores dos assassinatos de quatro agricultores na cidade de Baixa Grande do Ribeiro em abril deste ano, foi preso pela segunda vez na manhã deste domingo (2) em São Luís, no Maranhão.

Suspeito de ser mandante de chacina de agricultores no Piauí é preso novamente em São Luís — Foto: Divulgação /PC-PI

John Lennon foi preso no dia 4 de maio no Distrito Federal. Contudo, ele foi posto em liberdade pela Justiça no dia 3 de junho. O delegado Carlos Júnior, da Polícia Civil do Piauí, informou que o suspeito foi solto devido à “falta de comunicação entre instituições”.

O suspeito foi novamente preso em decorrência de um mandado de prisão preventiva. Ele foi localizado escondido em um residencial na capital maranhense.

No dia 23 de abril de 2023, quatro pessoas foram assassinadas a tiros em uma casa na cidade de Baixa Grande do Ribeiro, 586 km ao Sul de Teresina. As vítimas eram um pai e seus dois filhos, e um funcionário da família. O crime teria sido motivado por uma vingança familiar.

O crime aconteceu num domingo, na casa onde as vítimas moravam, na zona urbana de Baixa Grande do Ribeiro. Na noite do dia 22 de abril, as vítimas faziam uma festa com amigos e funcionários na casa.

Pai, dois filhos e um funcionário são assassinados em Baixa Grande do Ribeiro, no Sul do Piauí — Foto: g1 Piauí

Depois da festa, o grupo foi dormir. Horas depois foram acordados por homens armados que cobriam o rosto com camisetas. Eles foram rendidos e levados até o terraço da casa, onde quatro deles foram assassinados a tiros. Duas pessoas conseguiram fugir, e acionaram a Polícia.

As quatro vítimas são agricultores naturais do Rio Grande do Sul e um operador de máquinas, funcionário da família, nascido em Balsas, no Maranhão:

  • o pai, Luiz Pedro Dalcin, de 61 anos, de Sobradinho, no Rio Grande do Sul
  • Luíz Antônio Dalcin, de 34 anos, filho de Luíz Pedro, de Arroio do Tigre (RS)
  • Gustavo Dalcin, de 36 anos, filho de Luíz Pedro, de Arroio do Tigre (RS)
  • Leonilton Sousa da Silva, de 33 anos, funcionário da família, de Balsas (MA)

Luiz Pedro e os dois filhos foram para o Piauí em 2019. Aqui eles trabalharam com produção e colheita de soja e feijão. Além das vítimas, Luiz Pedro tinha outros dois filhos. Luiz Antônio deixa dois filhos. Gustavo deixa uma filha.

Conforme o Instituto Médico Legal (IML), os criminosos utilizaram pelo menos uma arma de fogo de alta energia (fuzil ou similar) para cometer a chacina. Cerca de 14 projéteis foram disparados contra as vítimas.

O operador de máquinas Leonilton Sousa da Silva, de 33 anos, natural de Balsas, no Maranhão, foi atingido por oito disparos. As demais vítimas, os agricultores Luiz Pedro Dalcin e os dois filhos dele, Luíz Antônio Dalcin e Gustavo Dalcin, foram atingidos por dois a três disparos cada um.

Duas pessoas conseguiram sobreviver à chacina. Eles pularam o muro da casa depois do início dos tiros. Em seguida, eles acionaram a Polícia Militar.

As duas pessoas eram amigos da família Dalcin, ambos naturais do Rio Grande do Sul e que estavam no Piauí a passeio, para visitar os amigos. Eles teriam participado da comemoração na noite anterior.

Dois dias depois do crime, a Polícia Civil conseguiu prender um homem suspeito de participar do crime e divulgou os nomes e fotos dos três outros suspeitos. O suspeito preso, Lúcio Batista Fialho, teria emprestado as armas usadas pelos autores da chacin

Euton Marcos Santos Lira e Velton Avelino de Sousa, estão foragidos. Eles também têm antecedentes criminais.

Vingança

O massacre foi uma vingança de um dos suspeitos contra a família assassinada. Jhon Lennon dos Santos Abreu teria encomendado o crime para vingar a morte do sogro, que faleceu na propriedade das vítimas.

Em 2022, o sogro de Jhon Lennon, que era funcionário dos Dalcin, faleceu de causas naturais na fazenda das vítimas da chacina. O suspeito então teria ficado com raiva, por acreditar que a família tinha demorado a comunicar sobre a morte às autoridades competentes.

Então, Jhon Lennon processou a família Dalcin, em busca de uma indenização. Depois, o suspeito e a família começaram a trocar ameaças, que foram se intensificando.

Ainda segundo a investigação da Polícia Civil, o operador de máquinas Leonilton Sousa da Silva, assim como os outros dois sobreviventes, apenas estavam no local por acaso, e não seriam alvo dos criminosos.

 

Do G1 Ma

 

Faça um Comentário

Elias Lacerda

Elias Lacerda

Elias Lacerda
Jornalista apaixonado pela notícia e a verdade