Timon agora integra a região do semiárido e mudança cria expectativas de investimentos

O município de Timon passou a integrar desde ontem, terça (14), a região do semiárido brasileiro. O reconhecimento foi feito pela SUDENE, a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste.

Além de Timon, outros 15 munícipios também foram reconhecidos, sendo eles: Água Doce do Maranhão, Araioeses , Barão do Guajaú ,  Brejo, Buriti Bravo, Caxias, Magalhães Almeida, Matões, Milagres do Maranhão, Parnarama, Santa Quitéria do Maranhão, Santana do Maranhão, São Bernardo ,São Francisco do Maranhão e Tutóia.

A proposta que resultou na inclusão dos municípios na região do semiárido foi do senador do PDT maranhense, Weverton Rocha (foto acima) e tem sido recebida com entusiasmo pelos gestores das cidades incluídas, pois a expectativa é de que estes municípios abrem mais uma porta para investimentos do governo federal através da SUDENE, o que antes não era possível.

Segundo o senador Weverton Rocha, a inclusão dos municípios na área de atuação da Sudene contribuirá para corrigir um equívoco histórico que excluiu durante anos o Maranhão de políticas públicas voltadas ao semiárido, como combate à desertificação, recuperação de áreas degradadas, convivência com a seca e geração de emprego e renda, o que deixou 1,3 milhão de pessoas desassistidas.

Weverton apresentou o projeto ao ministro Waldez Goes — o proposta inclui um total de 44 municípios do Maranhão na região do semiárido.

Pela proposta de Weverton, serão incluídos também na área de atuação da Sudene os municípios de Afonso Cunha, Aldeias Altas, Anapurus, Barreirinhas, Belágua, Benedito Leite, Buriti, Chapadinha, Codó, Coelho Neto, Colinas, Duque Bacelar, Humberto de Campos, Lagoa do Mato, Loreto, e Mata Roma.

E ainda os municípios de Morros, Nina Rodrigues, Paraibano, Passagem França, Paulino Neves, Primeira Cruz, Santa Amaro do Maranhão, São Benedito do Rio Preto, São João do Sóter, São João dos Patos, Sucupira do Riachão, Timbiras, Urbano Santos e Vargem Grande.

Semiárido brasileiro

O semiárido brasileiro corresponde a uma área de 982,5 mil quilômetros quadrados e constitui uma das três grandes áreas semiáridas da América do Sul, em que predominam combinações de temperaturas médias anuais muito elevadas, entre 23º e 27º centígrados, evaporação de 2.000 milímetros ao ano, insolação média anual de 2.800 horas e regime pluviométrico irregular, com níveis mal distribuídos que variam entre 300 mm e 800 mm anuais.

A umidade relativa do ar, em média, fica em torno de 50%, o que faz essa região sempre apresentar balanço hídrico negativo, em boa parte dos anos, observa Weverton na justificativa do projeto.

(Com parte das informações de O Imparcial)

Elias Lacerda

Jornalista apaixonado pela notícia e a verdade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *