Elias Lacerda - WhatsApp
Destaques

Fiscalização fecha os olhos e invasão cresce em área federal às margens da BR 226 em Timon



Governo do Estado do Maranhão

Construções em faixa de terra de domínio do DNIT está acontecendo em Timon em frente ao Posto Fiscal sem qualquer resposta dos órgãos públicos federais responsáveis pela fiscalização. O que antes era apenas um trailer transformou-se em vários pontos comerciais onde na semana passada derrubou-se até árvores para na área ser construída novos prédios.

Acima à direita o posto fiscal e ao centro a pequena faixa de terras, área que deveria ser de preservação federal, mas a omissão do poder público faz avançar uma invasão no local.

De olhos fechados para o problema que acontece há anos  a justiça acaba colaborando para uma invasão de terra que acontece às margens da BR 226, em Timon. O problema ocorre numa pequena área de domínio federal entre a rodovia e as cerâmicas, em frente ao principal Posto de Arrecadação fiscal do município, já perto da ponte engenheiro Antonio Noronha, a Ponte Nova.

No local antes era apenas um treiller para venda de lanches aos motoristas que passam pelo Posto Fiscal, mas a negligência do poder público ao longo dos anos fez com que muitos se apoderassem de faixas de terras e construissem. Se aproveitando da falta de fiscalização e omissão dos órgãos públicos federais como DNIT, Polícia Rodoviária Federal e Ministério Público Federal, nos últimos dias o problema só tem agravado. Isso porque novas construções já começaram a serem feitas na área.

Por enquanto, a faixa de terra tem sido usada somente para construção de lanchonetes, borracharia e outras atividades comerciais, mas o temor entre alguns funcionários da Secretaria de Fazenda e também de timonenses  que se preocupam com o planejamento da cidade é de que num futuro próximo a área se torne uma favela com várias pessoas se instalando no local. Uma vez instalados no local, sabe-se que mais difícil será retirar essas pessoas daquela área.

A faixa de terras é de preservação federal, pois pertence a BR 226, rodovia que após anos está com a metade dos recursos necessários garantidos pelo governo federal para o seu serviço de asfaltamento. Os trabalhos de asfaltamento quando chegarem em Timon devem incluir as construções como ilegais e até precisar da remoção dos invasores.

Fica aqui a esperança de que providências sejam tomadas. Com a palavra o Ministério Público Federal, DNIT e Polícia Rodoviária Federal em Caxias…

Você pode ler também!

  • Pedro disse:

    Tem certeza q foi aquelas pessoas que trabalham na queles treiles que derrubaram aquelas arvores? …tem provas concretas sobre isso?….antes de publicar uma noticia voçê tem que ter provas concretas..que Jesus lhe abençoe.

  • ALBERTO SANTOS disse:

    Fiscalização fecha os olhos É PARA A NÃO MANUTENÇÃO DA BR-226 – e nessa área principalmente é que precisa se de uma REFORMA, ASFALTO E MANUTENÇÃO, pois nesse local e perímetro ACONTECE MUITO ACIDENTE, VITIMANDO VÁRIOS PAIS DE FAMÍLIA… GOVERNO ABRA O OLHO, FISCALIZAÇÃO VAMOS FISCALIZAR!!!

Deixe um comentário



Barro Forte