Veja a tabela de pagamento do Auxílio Emergencial divulgada pelo governo federal

Aplicativo CAIXA|Auxílio Emergencial

O governo federal publicou as datas de pagamento da terceira parcela do auxílio emergencial em uma edição extra do Diário Oficial da União publicada na noite dessa quinta-feira (25/6). O depósito será feito na conta social digital da Caixa Econômica Federal (CEF) a partir deste sábado (27/6). Já o saque em espécie e a transferência bancária dos R$ 600 serão liberadas só a partir de 18 de julho.

Como havia antecipado o ministro da Economia, Paulo Guedes, na live com o presidente Jair Bolsonaro, os depósitos da terceira parcela dos R$ 600 serão feitos entre este sábado e o sábado da próxima semana (4/7) para os mais de 40 milhões de brasileiros que já receberam duas parcelas do benefício e não pertencem ao Bolsa Família. O calendário foi dividido de acordo com o mês de nascimento do trabalhador (veja abaixo).

Como aconteceu na segunda parcela, o pagamento será feito somente de forma virtual neste primeiro momento. Por isso, deve ser movimentado exclusivamente pelo aplicativo Caixa Tem. “Os recursos estarão disponíveis apenas para o pagamento de contas, de boletos e para realização de compras por meio de cartão de débito virtual ou QR Code”, diz a portaria do Ministério da Cidadania que fixou o calendário da terceira parcela.

Já o saque em espécie da terceira parcela auxílio emergencial, para quem não conseguir usar os R$ 600 pelo aplicativo da Caixa, será liberado somente entre os dias 18 de julho e 19 de setembro. O escalonamento tem o intuito de evitar a formação de filas e aglomerações nas agências da Caixa, como foi visto no início dos pagamentos do benefício.

Entenda como será o pagamento da terceira parcela do auxílio emergencial:
Os depósitos na conta social da Caixa serão realizados nas seguintes datas:

27 de junho (sábado): para os nascidos em janeiro e fevereiro
30 de junho (terça-feira): para os nascidos em março e abril
1º de julho (quarta-feira): para os nascidos em maio e junho
2 de julho (quinta-feira): para os nascidos em julho e agosto
3 de julho (sexta-feira): para os nascidos em setembro e outubro
4 de julho (sábado): para os nascidos em novembro e dezembro
Já os saques e as transferências serão autorizadas nos seguintes dias:

18 de julho (sábado): para os nascidos em janeiro
25 de julho (sábado): para os nascidos em fevereiro
1º de agosto (sábado): para os nascidos em março
08 de agosto (sábado): para os nascidos em abril
15 de agosto (sábado): para os nascidos em maio
29 de agosto (sábado): para os nascidos em junho
1º de setembro (terça-feira): para os nascidos em julho
8 de setembro (terça-feira): para os nascidos em agosto
10 de setembro (quinta-feira): para os nascidos em setembro
12 de setembro (sábado): para os nascidos em outubro
15 de setembro (terça-feira): para os nascidos em novembro
19 de setembro (sábado): para os nascidos em dezembro

 

Da Agência Brasil

5 cometários

Keila
Comentou em 26/06/20

Como que se paga um aluguel desse jeito…precisamos de dinheiro vivo e não somente débito …
Sou de agosto …e só em setembro vou poder sacar…de emergêncial não tem nada …Governo humilha os pobre…e se esquecem que vivem a nossas custas..pagamos impostos…e qiando precisamos de dinheiro eh essa enrolação!!!
Só por deus!!!

Jozelaine
Comentou em 26/06/20

Que palhaçada!!! Mais de 2meses pra poder pegar o dinheiro… Como pode uma coisa dessas… Só pela conta dogital até parece que agora todo mundo tem maquininha pra receber as dividas aff!

Juciara
Comentou em 26/06/20

Desnecessário isso passa 1 mês só pra poder sacar ! E as mães que estão dependendo desse dinheiro como ficar esperando meses pra poder receber!

MARCELA GOMES AVELINO COSTA
Comentou em 27/06/20

Isso é um absurdo! Q vergonha como sempre ficamos a mercê dessa corja,que acha q estão fazendo um favor,na verdade e nosso direito,nosso dinheiro.

Wendel Marques
Comentou em 27/06/20

€ uma tristeza, uma vergonha, esse BOZO disfarcado de presidente da república, que se diz cristão, não passa de BABACA, que humilha a população brasileira com essa esmola chamado de auxílio. Pois, da forma que faz essa distribuição mais parece um favor, quando na verdade deveria se tratar de uma devolução, uma vez que nós pagamos impostos e esse dinheiro é de todos nós.

Deixe um comentário

Você pode ler também!

Barro Forte