Hotel Parnaíba
Destaques

Foi filmado: menor infratora ataca promotora de justiça com estilete no interior do Maranhão, diz Ministério Público




Uma menor de 14 anos foi filmada na semana passada, pela própria mãe, no momento em que, segundo o Ministério Público, atacava uma promotora de justiça com um estilete, na sede da Promotoria de Justiça de São Pedro da Água Branca.

O caso aconteceu no dia 5 de setembro.

De acordo com o MP, a menor havia sido apreendida pela Polícia Militar no dia 20 de agosto, nas proximidades de um bar, consumindo bebida alcoólica e aparentemente sob o efeito de drogas.

Ela foi encaminhada ao Conselho Tutelar, que repassou a informação sobre a ocorrência ao Ministério Público.

Depois disso, a promotora  Fabiana Santalucia Fernandes instaurou procedimento e notificou a mãe da adolescente a prestar esclarecimentos e apresentar a filha na sede da Promotoria

No dia do ocorrido, ainda segundo o relato oficial, ao questionar a mãe sobre a situação da filha e a responsabilidade dela em protegê-la, a promotora de justiça foi surpreendida pela garota, que passou a agredi-la.

“A assessora da Promotoria de Justiça ouviu os gritos e tentou afastar a adolescente, tendo sido igualmente agredida e jogada ao chão. Mesmo diante da agressão, a mãe não adotou qualquer medida para conter a filha que, em seguida, pegou um estilete e tentou atingir a promotora de justiça”, diz o comunicado do MP.

Toda a ação, curiosamente, foi gravada pela mãe da garota, que, em alguns trechos do vídeo dizia que chamaria a polícia, aparentemente numa tentativa de intimidar a promotora e sua assessora. O blog ainda não conseguiu contato com ela.

Por se tratar de um vídeo envolvendo uma menor, as imagens foram desfocadas.

Do blog do Gilberto Leda

Você pode ler também!

  • L. Carlos disse:

    O ministério público defende tanta gente errada, que acabou acontecendo isso. Enquanto não colocar uma basta nessa molecagem que tá o Brasil. A tendência é só piorar. Promotores coloca na cabeça de vcs que Bandido não é cidadão, não é vitima da sociedade.

Deixe um comentário



Barro Forte