Logo Elias Lacerda
Clínica São Rafael

Júri condena a 43 anos em Caxias sobrinho que matou tia adotiva em cemitério

Um Tribunal do Júri realizado nesta terça-feira (19), em Caxias, condenou o trabalhador informal Samuel de Abreu a 43 anos e dois meses de prisão pela morte e tentativa de homicídio contra duas tias afetivas dentro de um cemitério.

O caso aconteceu no dia 29 de junho de 2020, quando Maria das Graças de Abreu, de 72 anos; e Francisca Maria Machado, de 70 anos, estavam no cemitério dos Caldeirões, no bairro Seriema, acendendo velas no túmulo de uma irmã, que é mãe adotiva de Samuel.

 

Segundo as investigações, Samuel apareceu no local e atacou Maria com golpes de faca e agrediu Francisca com um tijolo. Maria das Graças morreu no local, enquanto Francisca Maria foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levada para o Complexo Hospitalar Municipal Gentil Filho, em Caxias, e sobreviveu.

A Polícia Civil informou ainda que Samuel chegou a acompanhar Francisca Maria até o hospital, após o crime.

 

“Muito frio. Ele depois que cometeu o crime retornou para a casa dele e ficou como se nada tivesse acontecido. Inclusive, quando alguém foi chamá-lo, ele se mostrou surpreso com o que havia acontecido (com as tias), mas não esboçou nenhum tipo de sentimento em relação ao caso”, explicou o delegado Jair Paiva.

 

As investigações apontam que Samuel tinha medo de que as tias, por herança, ficassem com a casa em que ele morava com elas, e isso teria sido a motivação do homicídio e da tentativa de homicídio.

 

Do G1 Ma

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

*
*

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael