Logo Elias Lacerda
                           Clínica São Rafael

A histórica posse de João da Gráfica como prefeito de Timon que durou apenas 45 minutos completa 10 anos

Hoje completa exatos dez anos da posse mais conturbada e marcante de um prefeito de Timon na história do município. No dia 3 de junho de 2008, o então vice-prefeito da ex-prefeita Socorro Waquim, tomou posse como gestor municipal numa circunstância inédita na região .

Acima à esquerda o vereador Jaconias Morais (oposição) discute com o vereador Kennedy Gedeon (da base de Socorro Waquim) enquanto Edivar está sentado na cadeira de presidente da Casa ao lado do assessor já falecido, João Peruhype.

Rompido politicamente com a prefeita eleita em 2004, João da Gráfica viu a chance de se tornar prefeito da cidade naquela época após a gestora municipal deixar o Brasil numa viagem a Alemanha sem autorização da Câmara Municipal, como determina a lei. Orientado por amigos ligados a oposição a ex-prefeita como o ex-vereador e hoje advogado Jaconias Morais, um dos bons quadros da Câmara naquela legislatura, João da Gráfica ingressou na justiça local pedindo sua posse no cargo e baseado na Constituição Federal o juiz dos Feitos da Fazenda Pública, Simeão Pereira e Silva, concedeu uma liminar ao vice.

Acima a entrada de João da Gráfica na prefeitura; muito empurra-empurra. Abaixo o aglomerado de pessoas na porta da prefeitura.

Mesmo conquistando a liminar na noite do dia 2, a determinação judicial não pode ser cumprida no mesmo dia, pois a posse teria que ocorrer na Câmara Municipal e presidente da casa, ex-vereador Edivar Ribeiro ,não foi encontrado para ser comunicado (a oposição disse na época que ele se escondeu para não receber a notificação naquela noite e assim permitir que sua aliada Socorro Waquim pudesse ganhar tempo no recurso que apresentou ao Tribunal de Justiça).

Esse fato da história foi marcante demais. Na noite que antecedeu o dia da posse de João da Gráfica,  guardas municipais guardaram o prédio da prefeitura e muitos servidores passaram a noite entrando e saindo na sede com diversos documentos. A oposição fez campana na porta e filmaram criticando o entra e sai de secretários e servidores que recolhiam material no prédio.

João da Gráfica só pode tomar posse no dia seguinte na Câmara Municipal e tão logo recebeu a faixa de gestor, saiu a pé acompanhado de dezenas de policiais militares em direção da prefeitura de Timon para sentar na cadeira de prefeito.

Numa atitude das mais corajosas,  João da Gráfica enfrentou a multidão de aliados servidores da ex-prefeita Socorro Waquim que se aglomeraram na frente da prefeitura e quase não o deixaram entrar. No local muitos lhe jogaram água e xingaram.

Apesar das pressões dos contrários a posse, João da Gráfica sentou na cadeira de prefeito, mas sua estadia no local demorou apenas cerca de 15 minutos, pois logo o oficial de justiça chegou com a decisão do presidente do tribunal de justiça do Maranhão, Raimundo Cutrim, que derrubava a liminar do juiz local.

Hoje, aos 68 anos de idade, João da Gráfica não exerce mais a atividade política. Aposentado, cuida apenas de suas empresas do ramo gráfico. Seu filho, empresário João Rodolfo, atual vice-prefeito de Timon, foi quem assumiu as atividades políticas do pai.

A intenção com essa matéria do eliaslacerda,com foi apenas recordar um passado recente da história política timonense, fato este que é considerado para muitos como o momento político mais inusitado e destacado de nossa história.

Recordar é viver…

 

(Com fotos de Dantércio Cardoso com informações do extinto blog do Elias Lacerda, no Portal AZ)

 

1 comentário

Alailton
Comentou em 29/12/20

Caramba véi não sabia desse fato bem Timon. Porém nesse período eu já votava

Deixe um comentário

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael