Anuncie
Destaques

Mutirão de Catarata e Pterígio vai beneficiar 300 pessoas no próximo domingo (26) em Timon



Joedson Nunes - Arquiterura

842A7639

A Prefeitura de Timon, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e em parceria com o Governo do Estado, realiza hoje (24) mais um mutirão de cirurgias de correção da catarata e pterígio. As doenças, que afetam a visão, podem ser corrigidas com um procedimento considerado simples e que exige apenas anestesia local e nem precisa de internação do paciente.

 

O desenvolvimento do mutirão na cidade é uma conquista da administração municipal. “Esse mutirão veio para o município por meio de esforços da Prefeitura de Timon e Secretaria de Saúde, aliada à Regional de Saúde, que buscaram junto à Secretaria Estadual a realização dessa ação. Assim, o Governo disponibilizou os profissionais e todo o equipamento específico para a realização da cirurgia, que acontece na estrutura física do Hospital Alarico Pacheco”, informou Oglaide Noleto, diretora da Policlínica de Timon, onde aconteceu a triagem dos pacientes que seriam submetidos ao procedimento.

842A7627

Ainda de acordo com a diretora, o processo tem início com o atendimento na Policlínica, com aferição de pressão e medição da glicemia capilar. “Os pacientes passam por atendimentos na Policlínica para verificarmos se estão dentro do padrão recomendado para o procedimento cirúrgico. Então, além dos que foram triados na própria unidade, foram selecionados pacientes vindos da regulação e também pacientes advindos da promotoria e daqui do Hospital Alarico”, explicou Oglaide.

 

O mutirão acontece até domingo (26). Estão previstas 300 cirurgias para catarata e pterígio, percentual definido de acordo com o volume da população das quatro cidades atendidas. “Essa iniciativa é uma parceria do Governo do Estado. Solicitamos essa ação para atender toda a região de Timon, que engloba os municípios de Parnarama, São Francisco e Matões. Hoje, a maioria dos pacientes já está passando da terceira idade, e veja a importância dessa ação, em poder devolver a visão dessas pessoas através da cirurgia de catarata. Então agradecemos o apoio do governador Flávio Dino e temos certeza de que esses mutirões vão continuar, pois estaremos sempre buscando mais alternativas para que essas pessoas recebam este serviço”, afirmou o gestor municipal de saúde, Márcio Sá.

842A7642

Dona Raimunda Pereira, que acompanhava seu esposo para o procedimento, elogiou os esforços da prefeitura para o desenvolvimento da ação. “Hoje nós temos um atendimento de qualidade na Saúde de Timon, depois do governo do Luciano Leitoa, com o governador Flávio Dino, pois antes para você conseguir um tratamento tinha que ir à Teresina, arranjar um endereço falso e quando não dava certo, eles te enxotavam. Meu marido mesmo já tinha tentado fazer essa cirurgia lá, mas nunca tinha dado certo. Agora apareceu essa oportunidade aqui, graças ao compromisso da prefeitura e a responsabilidade do governo estadual”, falou a dona de casa.

 

 As patologias (Catarata e Pterígio)

A catarata é uma opacidade do cristalino (lente natural do olho). As pessoas que possuem catarata têm a visão nublada, como se olhassem por uma janela embaçada ou enevoada. Essa visão nublada pode tornar mais difíceis tarefas como ler, dirigir um carro ou interpretar a expressão das pessoas. Com o tempo, a catarata acabará por interferir na visão.

 

Em um primeiro momento, iluminação mais forte e uso de óculos podem ajudar a lidar com a catarata. Mas se a visão prejudicada interfere com as atividades normais, é necessário fazer a cirurgia de catarata.

842A7631

O pterígio consiste em um crescimento de tecido fibrovascular semelhante à conjuntiva sobre a córnea do olho. É conhecido popularmente como “carne crescida”, “vilídea” ou, às vezes, é erroneamente denominado de “catarata”. No entanto, pterígio e catarata são patologias distintas.

 

O pterígio deixa o olho vermelho e sintomas de ardência, irritação, sensação de corpo estranho, queimação e outros relacionados às desordens da superfície ocular. A patologia pode ser responsável por alterações visuais, como astigmatismo e até cegueira. Caso se desenvolva a ponto de atrapalhar a visão ou se torne um incômodo estético, pode ser retirado através de intervenção cirúrgica. A intervenção é realizada sob anestesia local e demora aproximadamente 30 minutos, não sendo necessária internação. Depois da cirurgia, a aplicação de colírios ou pomadas oftálmicas à base de antibióticos e anti-inflamatórios deve ser mantida por algumas semanas.

842A7629

(Da assessoria)

 

Você pode ler também!

Deixe um comentário



Barro Forte