Anuncie
Saúde

Parnarama em protesto: Professores entram em greve e saem as ruas acusando a administração de Raimundinho Silveira de reduzir salário da categoria



Joedson Nunes - Arquiterura

A semana começou de cara feia para o prefeito de Parnarama, Raimundinho Silveira. Professores da rede municipal entraram em greve e saíram às ruas em protesto contra a gestão dele. A administração de Parnarama é acusada de retirar direitos e conquistas da categoria.

Com carro de som e muitos discursos inflamados de ataques e até pedidos de renúncia do prefeito, professores da rede municipal de Parnarama percorreram várias ruas da cidade em protesto.

Assista vídeo logo abaixo:

Em conversa com eliaslacerda.com, o presidente do Sindicato da categoria, professor Manoel Dias Viana Júnior, explicou a razão da greve e protesto. “Raimundinho Silveira apoiado por seus dez vereadores de cabide, conseguiu a proeza de aprovar no legislativo Municipal a alteração de duas leis: Plano de Carreira do Magistério e do Regime Jurídico dos Servidores Municipais, suprimindo de ambos vários direitos que refletem diretamente no bolso. Revogou dos Professores a gratificação de Regência e a carreira horizontal, que são os níveis, adquiridos pelo tempo de serviços prestados. Como perdas salariais, essas medidas subtraem valores que podem ultrapassar 500 reais mensais”, explicou.

Os protestos saíram as ruas com pedidos de apoio aos empresários, igreja e a sociedade em geral da cidade, na defesa desta causa que segundo a categoria afetará , inclusive, a economia local.

Os professores foram a Câmara Municipal da cidade onde na manhã desta segunda-feira (12) mesmo sendo dia de sessão Ordinária, nenhum vereador da base de apoio do prefeito compareceu a casa legislativa.

Decididos a ter seus direitos ressarcidos, os professores estão dispostos a manterem a greve e as manifestações. Nas reivindicações estão a devolução do valor da regência retirado dos professores pelo prefeito, reimplantação da regência nos contracheques deste mês de agosto e a revogação de todas as medidas que atacam os direitos dos servidores.

Pior é saber que mesmo com a escancarada perseguição que castiga a categoria dos professores, até o fechamento desta matéria o prefeito não manifestou nenhum interesse em mudar de posição.

Você pode ler também!

Deixe um comentário



Barro Forte