Gestora escolar da zona rural de Timon supera medo de andar a cavalo para entregar atividades a estudantes

Com a impossibilidade de realização das aulas presenciais, ainda devido à pandemia do novo Coronavirus, o ensino remoto continua acontecendo na rede municipal de educação de Timon. Cada gestor escolar assumiu diferentes maneiras de organizar as aulas não presenciais, e para muitos, isto tem sido bastante desafiador. Em alguns casos, o gestor enfrenta seus próprios medos para que a educação chegue ao maior número de estudantes possível.


Na zona rural do município, por exemplo, a professora Solange Costa, gestora adjunta da EMEF Dona Sinhara, localizada no povoado Castelo, já foi destaque neste portal pelo trabalho desenvolvido durante a pandemia, mas há algumas semanas, ela surpreendeu a todos pela forma como decidiu ajudar os alunos da zona rural que não têm internet e que não possuem condições de buscar as atividades entregues na escola. Ela, que já realizava a entrega de atividades em sua própria casa, no povoado Ponte, decidiu montar a cavalo, superando o medo e o fato de nunca ter tido esta experiência, para levar o conhecimento aos alunos que moram no povoado Cumbe, distante 3km da sua residência.

A professora Solange conta que tudo começou observando a falta de alguns estudantes nos dias da entrega de material na escola. “Através da ajuda do gestor titular, professor Ribinha, e dos professores que enviam as atividades, realizamos a organização do material e entregamos quinzenalmente na própria escola mantendo todos os cuidados exigidos pelas organizações de saúde. As entregas são feitas para os alunos do ensino infantil, fundamental menor e maior e EJA. Mesmo assim, percebi que não atingíamos a todos, porque muitos, além de não terem acesso à internet, moram distante da escola e em lugares com difícil acesso”, explica.

Ela acrescenta que, no caso dos estudantes que não conseguem ir à escola no dia marcado e nem a sua casa, no Povoado Ponte, a solução encontrada pela gestora é não medir esforços para ir ao encontro deles. “Vou a pé, de carro ou moto, mas ainda tem aquelas comunidades que para chegar lá só a cavalo. Sem nunca ter montado um, eu me dispus a ir ao Cumbe, por exemplo, porque lá tinham cerca de 11 alunos sem atividades, então, a minha vontade de que esses jovens também recebessem seus materiais foi bem maior que o meu medo de andar a cavalo. Só em ver a alegria daqueles estudantes fez valer a pena o esforço e o medo”, comenta a gestora.

Diante de tanto empenho, a professora Solange recebeu, na semana passada, o certificado confirmando a inscrição da EMEF Dona Sinhara no “PRÊMIO GESTÃO ESCOLAR 2020. A premiação, deste ano, contemplará projetos eficientes e inovadores de gestores que conseguiram encontrar soluções para o enfrentamento das dificuldades impostas pela pandemia. “Esta é a primeira vez que a escola participará deste concurso, por isso, só de ter em mãos o certificado de inscrição já é uma grande vitória. Tudo isso é fruto de um trabalho feito em equipe, então, só tenho agradecer à SEMED de Timon, ao gestor Ribinha, a coordenadora setorial Cruzinha, a supervisora Iara, ao secretário Leonardo, além dos professores, pais, alunos e colaboradores”, finaliza.

 

Por Flávia Raquel

5 cometários

SANDRA LIMA
Comentou em 15/09/20

MUITO AMOR A PROFISSÃO ,DETERMINADA A E DECIDIDA

Izabel Pereira Andrade de So
Comentou em 15/09/20

Parabéns Solange você é maravilhosa.

Lidiane Viveiros
Comentou em 15/09/20

Parabéns Solange, por ter vencido o medo por amor a Educação.

Soares sobrinho
Comentou em 15/09/20

PARABÉNS PROFESSORA…E UM EXEMPLO A SEGUIR POR TODOS OS FUNCIONÁRIOS. ..
PÚBLICO DE TIMON

CÉSAR WILLIAM
Comentou em 16/09/20

AMAZONA ANDANTE

Eis uma matéria para ganhar âmbito nacional e ser estampada por todos os veículos de comunicação. Parabéns, professora. Que nobre iniciativa. Louvável!!!

Deixe um comentário

Você pode ler também!

TekyNik