Logo Elias Lacerda
                           Clínica São Rafael

3ª dose a ser aplicada amanhã (29) em Timon aumenta em 20 vezes a imunidade

A dose de reforço com a vacina da farmacêutica americana pode gerar mais anticorpos contra o novo coronavírus, de acordo com estudo da Universidad de la República, do Uruguai

A pesquisa foi realizada por pesquisadores do Instituto Pasteur, da Universidad de la República.

O aumento da contagem de anticorpos foi registrado na comparação de amostras, entre a segunda e a quarta (foram coletadas quatro amostras de cada participante do estudo). Uma das amostras foi antes do início da vacinação, enquanto a segunda foi 18 dias após a segunda dose. Já a terceira coleta foi realizada aproximadamente 80 dias depois da segunda dose. Por fim, a quarta amostra de quem recebeu uma terceira dose de Pfizer, e tinha recebido duas doses da Coronavac, foi coletada após 18 dias. 200 pessoas participaram do estudo, que continuará a ser realizado.

O estudo foi divulgado no jornal local El Observador. “Hoje é um dia especial, é mais um passo na ciência uruguaia. Era um resultado desejável, mas hoje o confirmamos com a geração de conhecimento nacional. Era fundamental poder avaliar [o efeito da combinação de vacinas]. Estamos semeando coisas que vão nos dar segurança e garantias das decisões que estão sendo tomadas ”, disse, ao jornal, o ministro da Saúde Pública do Uruguai, Daniel Salinas.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

*
*

Você pode ler também!

Não desperdice seu tempo e garanta sua hospedagem Dgi Cloud hoje!
Clínica São Rafael