Profissionais do direito de Timon participaram do evento em Fortaleza que propagou coronavírus

A Conferência Nacional da Mulher Advogada,  realizada no Centro de Eventos de Fortaleza nos dias 5 e 6 deste mês, pode ter disseminado o novo coronavírus entre advogados no País. Uma semana após o evento, surgiu o primeiro caso, de uma conselheira federal da Ordem, de Recife (PE). Depois disso, outros casos apareceram,  e o número de confirmados pode passar de 10.

Advogadas e outros profissionais da área do direito de Timon participaram da atividade, de acordo com uma fonte do eliaslacerda.com ligada ao setor na cidade. Entretanto, até  o momento não se tem nenhuma notícia que alguma advogada ou outro participante da atividade de Timon tenha adquirido a doença.

Entre as participantes, sabe-se que uma delas, por motivos de precaução,  resolveu fazer isolamento social, medida tomada mesmo antes das determinações do governo municipal e estadual com as recomendações aos moradores de se manterem em casa.

Em publicação feita ontem, quinta-feira (26), a revista Época informou que há, ao menos, 13 casos entre advogadas que participaram do evento na Capital cearense.  Pelo menos um deles é grave. O da advogada Isabela Fernandes, de 36 anos, do Acre. Ela apresentou os sintomas da doença e estava em isolamento domiciliar, mas apresentou piora no quadro no último sábado (21). Fernandes foi internada para tratamento intensivo e diagnosticada com pneumonia viral. Ela está em coma induzido e precisa de aparelhos para respirar. Segundo boletim médico, o quadro é estável.

O evento reuniu, segundo a Ordem dos Advogados Brasileiros – Secção Ceará (OAB-CE), pelo menos 3 mil profissionais, sendo metade cearenses e a outra metade de diversos locais do País. Até o presidente nacional da OAB, Felipe Santa Cruz, participou da conferência.

O presidente da OAB-CE, Erinaldo Dantas, diz que tomou conhecimento de, pelo menos, cinco casos confirmados, mas que não é possível assegurar que as vítimas contraíram o vírus aqui no Ceará.

“O evento ocorreu há  20 dias. No momento da realização, não se falava em casos de coronavírus no Brasil. Eu mesmo estive até com pessoas que apareceram infectadas depois e não senti nada”, diz Erinaldo.

Boatos 

Desde que se confirmou o primeiro caso de uma advogada infectada que participou do evento, circulam informações nos bastidores sobre possíveis contaminados. O presidente da OAB-CE diz não ter conhecimento sobre casos de advogados cearenses infectados no evento.

 

Matéria original do Diário do Nordeste com acréscimo de informações do eliaslacerda.com

Deixe um comentário

Você pode ler também!

Barro Forte